Webmail

Cuidado com os e-mails falsos.

Lembre-se: a Unochapecó jamais solicitará sua senha por e-mail ou por telefone.

Galeria de Arte organiza exposição com obras apresentadas em 2015

Cultura

Na Galeria de Arte Agostinho Duarte, que fica na Unochapecó, 2015 foi um período de muitas obras, histórias e expressões artísticas. Passaram pelo espaço diversos amantes da arte, tanto para expor quanto para prestigiar.

Por isso, a nova exposição da Galeria, que permanecerá no espaço de 08 a 26 de fevereiro, tem como objetivo homenagear o ano que passou. “Retrospectiva 2015” reúne onze obras, uma de cada exposição ao longo do ano, para relembrá-lo com nostalgia antes que as novas exposições comecem a compor as paredes da Galeria, localizada no Bloco C da Unochapecó.

 

São elas:

Levado pela arte e aventura:

Pela primeira vez, quadros do artista Agostinho Duarte foram expostos na galeria que recebeu o seu nome.  "Levado pela arte e a aventura" teve dez obras, cedidas exclusivamente para esta exposição. Os quadros apresentam influências cubistas-expressionistas e variam de tema conforme a região que Agostinho viveu e se apaixonou. O artista, nascido em Portugal, mudou-se para Chapecó em 1976 e desde então foi um defensor da arte local.

 

A memória dos outros:

Organizada pelos estudantes do curso de Artes Visuais que participam do Grupo de Artistas Fronte (GAF),  “A memória do outro” conta com itens que compõem a memória dos artistas, como fotografias, móveis antigos e objetos com importância sentimental. Além disso, os visitantes participaram da exposição, podendo escrever as próprias lembranças em papéis em branco.

 

De todas as cores:

As lembranças da viagem da professora e fotógrafa Angélica Lüersen para o Oriente foram expostas na Galeria de Arte Agostinho Duarte. "De todas as cores" teve como principal objetivo demonstrar diferenças entre as culturas Ocidentais e Orientais. Angélica obteve as imagens através de muita observação e conhecimento dos lugares por onde passou.

 

Imagens Mediadas:

Alteração de cores, linhas, formas e efeitos através de ferramentas digitais de edição de imagens revolucionaram a forma de produzir arte. Na tentativa de fugir destes dispositivos de alta tecnologia, o artista Ricardo Garlet criou a exposição "Imagens Mediadas". O artista utilizou recursos manuais para reproduzir as técnicas editadas digitalmente.

 

Fragmentos Autunais:

Trata-se de uma exposição de fotografias, elaborada pela artista gaúcha Letícia Durlo. Três histórias diferentes, inspiradas na literatura japonesa e contadas através de ensaios fazem parte da mostra. Além das imagens, cada ensaio foi composto por um miniconto, para auxiliar na compreensão das histórias.

 

Corte ao Contrário:

O abstracionismo na arte é famoso por despertar confusão para os apreciadores de obras. Com o intuito de fazer uma ironia relacionada a esta reação, tão comum no universo artístico, a pintora Mozileide Neri produziu a exposição “O Corte ao Contrário”. Este projeto apresentou diversas pinturas em uma superfície de chapas de madeirite resinadas, que possuem diversos formatos, cores e texturas diferentes.

 

Espaços de (Im)permanência:

Provocar reflexão e problematização sobre espaços urbanos de permanência, convívio, transição e de fluxo. Esta é a essência da exposição Espaços de (Im)permanência, da artista e fotógrafa Kelly Wednt. A exposição contou com fotografias e desenhos que refletem as experiências da artista sobre mobilidade humana, observando as mudanças dos espaços que compõem a cidade em que nasceu, Pelotas.

 

Capitão Chumbinho in - O mundo nunca foi tão grande

Um soldadinho de chumbo e sua experiência ao transitar pela cidade, descobrindo espaços que geralmente não são vistos. Por meio de sua jornada, Chumbinho descobre que o mundo é muito maior do que aparenta ser. Esta é a história contada pelo artista Marco Antonio Stello, que fotografa o soldadinho de forma espontânea, com o celular, em espaços cotidianos.

 

Poemas em RX:

A escritora, historiadora, artista e poetisa Mara Paulina Wolff de Arruda produz quadros com poesias de artistas renomados, cujas palavras marcaram vidas e histórias. Através de recursos visuais, como fotografias e desenhos, a artista repassa o que ela pensa e interpreta sobre as histórias. As brincadeiras feitas através de palavras e imagens mostram, também, os sentimentos da artista em relação a diversos temas do cotidiano.

 

New York não só para os olhos:

O relato fotográfico da viagem de 38 dias à Nova York, feito pela professora e fotógrafa Janaina Schvambach também teve um espaço na Galeria. Foram 19 fotografias e oito textos inspirados nas imagens, escritos por João Fernando Lucas, André Timm e Carlos Eduardo Pereira. A exposição é descrita por Janaína como uma ida ao cinema, já que cada frame é um cenário pronto de uma história que está ali disposta a ser contada. As imagens foram captadas entre dezembro de 2014 a janeiro de 2015.

 

Múltiplos olhares:

A última exposição de 2015 reuniu obras de sete professores de Artes Visuais da Unochapecó: Aracéli Nichelle, Fabio Vieira, Janaina Schvambach, Márcia Moreno, Ricardo Garlet, Sonia Monego e Uiara Bartira. Com o objetivo de representar as características diferentes de cada artista, a exposição, intitulada “Múltiplos Olhares” resume a visão dos professores em relação a arte e ainda demonstra as diversidades que podem existir nessa área.

galeria

COMPARTILHE
TAGS
Retrospectiva 2015
Galeria
Exposição
Arte

LEIA TAMBÉM

comments powered by Disqus