Webmail

Cuidado com os e-mails falsos.

Lembre-se: a Unochapecó jamais solicitará sua senha por e-mail ou por telefone.

Acadêmicos constroem vivências através de idas a campo

Educação

Integração, discussão de leis, debates e socialização marcaram a segunda tutoria do projeto de Vivências Interdisciplinares e Multiprofissionais (VIM) de 2016. Na manhã da terça-feira (08/03), nas salas do Bloco C e D da universidade, 400 acadêmicos, junto com 40 tutores, tiveram o primeiro contanto a partir da divisão de grupos que irão vivenciar o projeto.

A principal atividade da tutoria 02 aconteceu a partir da construção coletiva do roteiro para a vivência. É embasado nesse roteiro que os acadêmicos vivenciarão na prática a realidade das Unidades Básicas de Saúde (UBS) dos municípios de Chapecó, Xaxim e Xanxerê, na próxima terça-feira (15/03).

De acordo com a acadêmica do primeiro período de Medicina, Laura Confortin Bonafé, a expectativa dessa vivência é “encontrar uma forma de melhorar algum problema das unidades de saúde visitadas, além de reforçarmos a importância das coisas positivas da área”. Para Laura, além de aprender a trabalhar em grupos multiprofissionais, será uma oportunidade para todos os que estiverem envolvidos poder aprender e visualizar de perto como funciona o Sistema Único de Saúde (SUS) e, o processo de territorialização da saúde.

O VIM é uma aprendizagem nova tanto para os acadêmicos quanto para os professores na compreensão de seu papel de agente transformador na sua realidade. A partir desse novo olhar o projeto deste ano é a primeira experiência da professora Ana Karina Brocco como tutora. Para ela, a proposta do VIM é interessante e desafiadora, justamente, por ter como um de seus objetivos, possibilitar que esses acadêmicos, de diversos cursos, se insiram no contexto social. Além disso, espera que os “acadêmicos e tutores, consigam criar novas sensibilidades e práticas em relação ao SUS, cumprindo assim, com os objetivos da vivência”. Já para Richaeli Hoehn, acadêmica do primeiro período de Nutrição, “a forma de interação interdisciplinar do projeto é bem interessante, pois abre os olhos dos alunos para áreas não imagináveis, que estão totalmente interligadas sendo importantes para formação acadêmica”.

A manhã da terça-feira também foi momento de discussão e avaliação entre os tutores. A partir dessa roda de conversa referente às duas tutorias realizadas pode-se perceber a sintonia dos tutores com os acadêmicos, a aceitação positiva das dinâmicas e atividades propostas e o quanto são importantes projetos como o VIM nas instituições de ensino. Dessa forma, a professora Scheila Marcon ressalta que o VIM é um grande aprendizado para os estudantes e os tutores e deseja que “os estudantes consigam interagir com colegas de outros cursos, compreendam a importância do trabalho em equipe e reconheçam os princípios e diretrizes do SUS e consigam contextualiza-los a partir da realidade vivenciada”.

COMPARTILHE
TAGS
Vim; sus; chapecó; xaxim; xanxerê; vivência; tutores; interação; unidade básica de saúde

LEIA TAMBÉM

comments powered by Disqus