O papel do farmacêutico

Mercado farmacêutico tem futuro promissor

12/06/2019
Por: Lucimara Juver
É responsabilidade do farmacêutico promover a saúde e qualidade de vida dos pacientes. (Foto: Bruna Gatto)

O mercado farmacêutico é um dos setores que mais cresceu no mundo nos últimos anos. Conforme um levantamento realizado pela Secretaria da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (SCMED), desempenhada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mais de 4,4 bilhões de caixas de medicamentos foram comercializadas em 2017. Ainda conforme a pesquisa, o faturamento das empresas que atuam no setor chegou a R$ 69,5 bilhões, o que corresponde a um aumento de 9,4% em relação às vendas do ano anterior.

Esse aumento na produção de medicamentos faz com que a carreira de farmacêutico seja valorizada, não apenas nas indústrias de medicamentos mas também em diversas áreas, como cosméticos e alimentos, laboratórios de análises clínicas, farmácia de dispensação, magistral, homeopática e hospitalar, atuação no Sistema Único de Saúde, entre outros.

 

Graduação em Farmácia

 

Qualquer que seja a área que o profissional optar em seguir, é obrigatório ter o diploma de Bacharel em Farmácia. É um curso da área da saúde que tem duração de quatro anos e meio e as disciplinas da grade curricular habilitam os futuros profissionais a trabalharem em diversas áreas, dirigindo sua atuação em benefício da sociedade, tendo por objetivo preparar os profissionais a atuar nas três grandes áreas do setor farmacêutico: medicamentos, análises clínicas e alimentos.

Essa profissão vai muito além do atendimento que costumamos receber no balcão das farmácias. Segundo o Professor da Unochapecó, Walter Antonio Roman Junior,  “o farmacêutico pode trabalhar com aspectos relacionados a banco de sangue, vacinas, atividades farmacêuticas no âmbito hospitalar, industrial”. Já no início da graduação o acadêmico terá contato com as disciplinas básicas da área da saúde, como Anatomia Humana, Bioquímica e Fisiologia Humana, além de ter disciplinas como Química Geral, Farmácia na Promoção à Saúde, Farmacologia e também ter de cumprir estágios obrigatórios desde o segundo semestre da faculdade.

 

 

O curso de Farmácia da Unochapecó conta com a estrutura da Farmácia-Escola no campus da Universidade para desenvolvimento de atividades e possibilidade de estágios. Quer conhecer mais sobre o curso de Farmácia da Unochapecó? Baixe o eBook gratuitamente.

 

 

Qual o papel do Farmacêutico?

 

O consumo inadequado de medicamentos é um problema de saúde que tem afetado a população mundial e anualmente milhares de pessoas morrem devido a intoxicações vindas pelo uso impróprio dos remédios. Nesse contexto, o farmacêutico exerce um papel de grande importância, pois é o profissional responsável por orientar a comunidade a usar os medicamentos de forma racional. Assim, o farmacêutico possibilita a melhora da saúde e qualidade de vida dos pacientes.

  • As atribuições do farmacêutico clínico foram definidas pela resolução nº 585 de 29 de agosto de 2013; nela, a prescrição farmacêutica passou a ser a mais nova atribuição do farmacêutico e isso tem gerado muitas dúvidas. Assim, é importante destacar alguns conceitos que aparecem no decorrer da resolução:

 

  • Art. 2º: as atribuições clínicas do farmacêutico visam à promoção, proteção e recuperação da saúde, além da prevenção de doenças e de outros problemas de saúde.

 

  • Parágrafo único: as atribuições clínicas do farmacêutico visam proporcionar cuidado ao paciente, família e comunidade, de forma a promover o uso racional de medicamentos e otimizar a farmacoterapia, com o propósito de alcançar resultados definidos que melhorem a qualidade de vida do paciente.

 

  • Art. 6º: o farmacêutico, no exercício das atribuições clínicas, tem o dever de contribuir para a geração, difusão e aplicação de novos conhecimentos que promovam a saúde e o bem-estar do paciente, da família e da comunidade.

 

 

Conforme a Professora da Unochapecó, Scheila Marcon, o farmacêutico poderá prescrever medicamentos de venda livre, que são os medicamentos que podem ser dispensados sem exigência de prescrição, como, por exemplo, analgésicos e antitérmicos. É necessário que, ao prescrever o medicamento, que o profissional oriente o paciente sobre o uso da medicação.

A professora ainda comenta que quando são problemas de saúde autolimitados, o farmacêutico consegue orientar e prescrever um medicamento de venda livre naquele momento. "É importante instruir o paciente a buscar um médico caso o problema permaneça”, completa.  

 

 

Ficou com alguma dúvida ou tem curiosidade sobre o papel do farmacêutico ou sobre o curso de Farmácia? Deixe nos comentários que a gente responde =)

 

comments powered by Disqus