Webmail
Menu Busca

Alunos do ensino médio participam de pesquisas científicas da Unochapecó

Educação

Texto Ana Vertuoso*

 

Por meio da concessão de bolsas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica no Ensino Médio (PIBIC-EM/CNPq), alunos de escolas públicas do município têm a oportunidade de entrar em contato com o universo da pesquisa da Unochapecó antes mesmo de ingressar no ensino superior. Eles participam de projetos em diversas áreas e, assim, contribuem com a comunidade, descobrem novos interesses e conhecem melhor a profissão que pretendem seguir no futuro.

"Desde o início da pesquisa, adquiri conhecimentos que imaginei ter acesso apenas na universidade. Essa vivência com o mundo acadêmico desde o ensino médio traz uma bagagem cultural gigantesca, certamente me tornei uma estudante e pessoa muito melhor. Gostaria que todos da minha idade pudessem ter esse contato que eu tenho", conta a estudante do 2º ano do ensino médio da Escola de Educação Básica Tancredo de Almeida Neves, Gabriele Parize.

Há um ano, a jovem participa do projeto 'Ecopedagogia na Educação Básica: uma proposta de educação libertadora a partir da cultura do Bem Viver', que está vinculado com o Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade. Sob orientação da professora Maria Aparecida Lucca Caovilla, ela dedica oito horas semanais à produção de projetos, leitura de artigos, livros e discussões à respeito da pesquisa com acadêmicos da Uno. 

"Os estudantes do ensino médio participam em igualdade de condições, em todas as atividades, com os estudantes da graduação e do mestrado. Isso significa dizer que desde o ensino médio, eles já vão construindo um caminho na pesquisa e se preparam para ingressar no ensino superior com uma trajetória consolidada como pesquisadores, participando de eventos, produzindo artigos e publicando em periódicos, e-books, entre outros", explica a professora.

"Trata-se de uma experiência profícua entre a Universidade e a escola, ambas cumprindo o papel de promover uma educação emancipadora, capaz de preparar estudantes, futuros profissionais, conscientes de seu papel social", complementa. 

Para compartilhar os resultados parciais obtidos na primeira fase, Gabriele participou do 9º Seminário Integrado de Ensino, Pesquisa e Extensão da Unochapecó (Siepe). "Fiquei nervosa por apresentar meu projeto para jurados e acadêmicos, mas ele melhorou bastante meu desempenho escolar. Foi interessante e me surpreendi, pois meu projeto foi classificado em 2° lugar do prêmio de Educação Acadêmica, nível Pesquisa Ensino Médio. Isso deixou eu, minha orientadora e co-orientadora muito orgulhosas".

O Siepe também foi espaço para socializar outros dez trabalhos que envolvem estudantes do Tancredo, e da Escola de Educação Básica Prof. Valesca Carmen Resk Parizotto. Segundo uma das avaliadoras do evento, professora Maria Isabel da Silva, a qualidade dos trabalhos apresentados foi surpreendente. "Gostaria de salientar a importância do envolvimento dos estudantes do ensino médio no âmbito da Universidade. Percebe-se que além de ser uma experiência fundamental para a formação, os estudantes encantaram-se pelos temas pesquisados. A partir dos seus comentários após as apresentações, demonstraram interesse em ingressar em um curso de graduação para dar continuidade às pesquisas desenvolvidas”.

A iniciação científica, ao aproximar escolas e instituições de ensino superior, possibilita um processo de autodescoberta sobre as habilidades e áreas de interesse de cada estudante. Ela constitui, também, um importante caminho para a continuidade dos estudos, escolha de uma profissão e formação de novos cientistas. Para isso, os projetos contam com recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e estão em conformidade com a Resolução Normativa nº 017/2006 do Conselho.

 

*Estagiária sob supervisão de Gabriel Kreutz

COMPARTILHE
TAGS
Siepe
pesquisa
Ensino medio

LEIA TAMBÉM

comments powered by Disqus