Webmail
Menu Busca

Amor é o ingrediente principal

Profissão

Texto Gabriel Kreutz*

 

Cozinhar é um ato de amor. Assim como tudo que você desprende um pouco do seu tempo para produzir algo para alguém ou si mesmo. Mas a cozinha vai ainda mais longe. “Além de amor, elencaria determinação, criatividade e organização. Ao cozinharmos para alguém, seja cliente, família ou amigos estamos colocando nossas emoções, potencial criativo e técnicas”, ressalta a coordenadora do curso de Gastronomia da Unochapecó, professora Simone Cervini. 

A professora Simone está há 10 anos no curso

Neste dia 10 de maio, quando se comemora o Dia do Profissional de Gastronomia, o curso da Unochapecó aproveita para celebrar as histórias de paixão pela cozinha, que foram transformadas em profissão. A professora Simone, por exemplo, sempre teve muito amor e contato com a gastronomia e pelos laços que podem ser construídos através dela. “Antes mesmo de seguir o caminho da docência/ensino eu e minha família empreendemos através de um um restaurante típico italiano aqui na cidade. Sempre gostei muito do contato, das produções e da setorização que a gastronomia permite, pois além da produção de pratos maravilhosos, podemos elencar num restaurante muitas outras funções”.

Professora há 10 anos no curso da Unochapecó, e coordenadora desde 2016, Simone explica que na Gastronomia, ocorre uma aproximação muito grande com todos os alunos e professores.

“As aulas são noturnas e a estrutura é muito adequada para a região em que estamos localizados. Buscamos sempre qualidade nas aulas e nos professores, criatividade também nos eventos que o curso participa. A cada ano buscamos nos reinventar e trazer algo novo para os estudantes. O curso de Gastronomia é gostoso, muito prático e vem cativando acadêmicos de todas as faixas etárias”, completa.

 

Empurrãozinho para empreender

A estudante atua no ramo da confeitaria

Michele Zonatto de Oliveira está no último período do curso, e apesar de sempre ter gostado de cozinhar, nunca tinha pensado em seguir a profissão. “Decidi cursar gastronomia por conta da minha paixão por doces e para aprimorar meu conhecimento na cozinha como um todo”, destaca a estudante.

Mesmo ainda estudando, Michele já está empreendendo na área.

“Fazem cinco anos que trabalho na área da confeitaria e apenas um ano que estou empreendendo. Durante o curso temos muitas matérias que nos ajudam nesse processo, tanto na prática, que descobrimos o que mais gostamos, quanto na teoria, onde entendemos como é necessário o conteúdo e o conhecimento”.

Prestes a conquistar o diploma, a estudante relata que a estrutura oferecida para a realização das aulas, assim como os materiais e laboratórios, suprem toda a necessidade para aprender. “A maioria das aulas são práticas, todas bem dinâmicas e interativas. Os professores são qualificados e dominam os conteúdos abordados”.

 

Virada de vida

Quando Davi Ferreira Feldberg terminou o ensino médio, não teve como seguir o sonho de criança de cursar Gastronomia, pois ainda não existia em Chapecó. Com isso, teve que escolher outra profissão. “Sempre gostei da área. Com 13 anos eu falei pra minha mãe que iria fazer gastronomia, mas quando sai do ensino médio não tinha curso em Chapecó e fora era muito caro para meus pais pagarem, aí fui para outra opção. Me formei em técnico em Mecânica Industrial e atuei na área por um tempo. Quando eu tinha 24 anos, minha cunhada me falou sobre o processo seletivo para eu fazer alguma faculdade,aí, quando abri o site e vi Gastronomia, decidi largar tudo e ir atrás do meu sonho”, relata.

Formado em 2016 no curso da Unochapecó, o sonho de Davi começou de fato a se concretizar e grandes experiências profissionais vieram. “Comecei fazendo estágio no restaurante DOM do Alex Atala, em São Paulo, depois retornei a Chapecó e fiquei durante um ano como chef de cozinha na Chacal. Decidi retornar para São Paulo onde consegui um emprego no restaurante Esther Rooftop, do Olivier Anquier. Após, passei uma temporada em Garopaba trabalhando com sushi, depois fui para Palhoça e fiquei como chef em um restaurante italiano, Vini Di Atesa. Até que, enfim, decidi empreender e voltei para Chapecó para começar a Le Blé, junto com minha sócia Erika Sales”.

Depois de interromper tudo o que estava vivendo para ir atrás de um sonho, o sentimento de Davi pelo curso de Gastronomia é de muita gratidão.

“Sou muito fã do curso, pois foi minha grande virada de vida. Foi aí onde eu aprendi tudo que precisava para iniciar uma nova carreira”, finaliza o egresso.

 

*Jornalista - Assessoria de Imprensa Unochapecó

COMPARTILHE
TAGS
Unochapeco
Gastronomia

LEIA TAMBÉM

comments powered by Disqus
Pós-Graduação UNOCHAPECÓ
Chame no Whatsapp