Webmail
Menu Busca

Ceom chega na etapa final do recadastramento de sítios arqueológicos

Cultura

O Centro de Memória do Oeste de Santa Catarina (Ceom) chega na última etapa do recadastramento de sítios arqueológicos nas regiões Oeste e Planalto. O trabalho é uma parceria com a 12º Superintendência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional de Santa Catarina. Na conclusão deste trabalho, que já dura 11 meses, a última etapa abrange os municípios de Lages, Painel, Capão Alto, Bocaina do Sul, Palmeira, Bom Retiro, Urupema, Urubici, São Joaquim e Bom Jardim da Serra. O projeto busca atualizar os dados, especialmente quanto à localização e ao estado de preservação desses locais, que contam a história mais antiga da região. A quarta e última etapa do projeto segue até janeiro de 2020, fechando assim os 12 meses de atividades.

Nos municípios desta etapa serão recadastrados cerca de 120 sítios arqueológicos, entre eles destacam-se os com estruturas subterrâneas e anelares, que são sítios funerários e cerimoniais. Os locais representam as populações Jê Meridionais, que chegaram na região há aproximadamente dois mil anos e deixaram muitas marcas na paisagem. Esses aspectos podem ser visualizados em meio aos campos e às florestas de araucárias.

Os sítios das populações Jê Meridionais, recadastrados nesta etapa, são referentes a um momento histórico marcado pela complexidade social e econômica. Esse período inclui o desenvolvimento de práticas agrícolas, o surgimento da desigualdade social, a transformação e a apropriação das paisagens. Se destacam os sítios funerários que foram construídos de diferentes tamanhos e que se caracterizam por um anel de terra com um montículo central que chega a ter até dois metros de altura. Além disso, as taipas e os caminhos das tropas marcam outra fase de ocupação da região, que também constitui um legado patrimonial importante.

A coordenadora do Ceom, professora Mirian Carbonera, explica que é importante que esses bens sejam preservados devido ao grande valor científico e histórico-cultural, além do potencial que tem para contribuir com o desenvolvimento local, por meio do turismo. "A região do planalto serrano tem apresentado uma quantidade grande de sítios. Foi possível localizar e recadastrar em torno de 40% da lista que temos como meta para essa última etapa, muitos dos sítios são monumentais. O importante é que seu estado de preservação é muito bom, o que possibilitará dar prosseguimento às atividades com novos projetos e problemáticas de pesquisa", comenta. 

 

*Com informações do Ceom 

COMPARTILHE
TAGS
Unochapeco
Sitios
Regiao
Historia
Ceom
Arqueologico

LEIA TAMBÉM

comments powered by Disqus