Webmail
Menu Busca

Conectados pelo coração e pelo conhecimento

Histórias

Estamos acostumados a ler histórias em que os pais incentivaram os filhos a cursar o ensino superior ou até mesmo inspiraram na escolha profissional. E sim, nesta história que vamos te contar, a narrativa não é diferente. Mas boas surpresas surgiram pelo caminho.

Por muitos anos, Iraci Bergamini trabalhou no ramo do comércio. Mas como sempre teve uma afinidade com a língua portuguesa, em casa ele foi um grande professor ao alfabetizar a filha Ana Luiza quando tinha apenas cinco anos de idade. 

Iraci encarou o desafio de fazer a primeira graduação depois dos 50 anos

Mas em 2017, a inquietude fez com que Iraci encarasse o desafio de fazer a primeira graduação depois dos 50 anos. Foi aí que os papéis se inverteram. A Ana Luiza, que na época já cursava Jornalismo na Unochapecó, não mediu esforços para motivar o pai e garantir que ele entrasse na Universidade.

Naquele mesmo ano, ele ingressou no curso de Letras Português/Inglês da Uno. As adversidades que surgiram pelo caminho naquela nova etapa da vida dele, foram superadas com a ajuda da filha. “Voltar a estudar com pessoas com menos da metade da minha idade foi, digamos, um pouco assustador. Mas a Ana foi imprescindível nessa trajetória dentro da Universidade, me ajudando com a minha matrícula e com o funcionamento da estrutura da Unochapecó, onde ela já trabalhava e trabalha até hoje. Ver a felicidade da minha filha com a minha graduação compensou tudo”, conta Iraci.

Para a filha, além do pai encarar toda essa caminhada de uma forma muito natural e alegre, a vida acadêmica aproximou ainda mais os dois. "A nossa relação ficou ainda mais próxima, sempre houve muita troca de ideia e ainda há, pois estou no último período de jornalismo. Como as áreas são parecidas, escrevi muitos textos e sempre contei com ele para ler e opinar, a gente começou a trocar ideias sobre assuntos que antes não trocavamos", relata Ana Luiza. 

Hoje, aos 54 anos, Iraci está realizado com a  nova profissão, atuando como professor de inglês na Escola Estadual Zélia Scharf. Uma conquista pessoal, mas que para ele serve de exemplo como pai para sua filha. “O principal papel de um pai, vai muito além dos conselhos e apoio financeiro, que também são coisas importantes, o primordial para o crescimento pessoal dos filhos é o pai ser uma inspiração”. 

Aos olhos da filha, o maior exemplo que o pai deixa para ela é a persistência e a realização que sente em ser professor. "Diante de muitos exemplos, o fato de nunca desistir das coisas que acredita, é o maior deles. E a grande lição que ele nos dá é que nunca é tarde para encontrar o nosso lugar no mundo. Hoje eu sei que o lugar no mundo do meu pai é em sala de aula, ensinando. Ele foi descobrir isso depois dos 50 anos e nunca imaginei ver ele tão feliz e realizado como hoje. Como filha é muito importante presenciar isso e ter feito parte dessa caminhada", declara a filha orgulhosa.

Nesse Dia dos Pais, o desejo é que possamos ler por aí muitas histórias de pais e filhos que inspiram um ao outro pelo amor, carinho e conhecimento. Feliz dia aos pais que tornam possível com afeto, cuidado e sabedoria. “A Ana Luiza, minha única filha, é o legado que deixarei quando terminarem meus dias, tenho certeza que ela fará grande diferença por onde estiver”. 

COMPARTILHE
TAGS
Unochapeco
Letras
Graduação
Dia dos pais

LEIA TAMBÉM

comments powered by Disqus