Webmail
Menu Busca

Curso de Produção Audiovisual celebra 10 anos com exibição do filme Bacurau

Cultura

Texto Alana de Bairros*

 

O cinema tem um potencial transformador, leva cultura, conhecimento, representa a vida de várias maneiras e possibilita pensar outras perspectivas sobre vários assuntos. Com esse objetivo, o curso de Produção Audiovisual - Cinema e Vídeo da Unochapecó comemora seus 10 anos de trajetória, trazendo para a comunidade o filme 'Bacurau', lançado em agosto deste ano e dirigido por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles. O longa-metragem brasileiro é uma das obras mais exaltadas e discutidas do ano e já foi premiado no Festival de Cannes e no 23º Festival de Cinema de Lima.

A celebração da primeira década será realizada nesta sexta-feira (06/12), no Salão Nobre da Unochapecó. A partir das 19h, um breve resgate da história do curso ganhará espaço antes da exibição do filme, além de homenagens aos profissionais envolvidos e apresentação do teaser de um produto audiovisual sobre o cinema no Oeste catarinense. O evento é aberto ao público em geral, com o objetivo de democratizar o acesso à obra e de gerar debate e visão crítica.

Conforme o coordenador do curso, professor Franscesco Flavio da Silva, a escolha pelo filme foi com o intuito de valorizar e divulgar as obras brasileiras.

"Acreditamos, enquanto curso, que trazendo o Bacurau para uma mostra aberta à comunidade, estamos rompendo com uma tradição que muitas vezes insiste em menosprezar o produto audiovisual nacional, que é rico e tem muita qualidade", ressalta.

Construído por muitas mãos

As produções audiovisuais produzidas no Oeste catarinense começaram a ser intensificadas a partir da década de 1980. Ao perceber o potencial da região como polo cinematográfico, passou a se discutir maneiras de incentivar a área e qualificar as produções. Em 2009 a primeira turma de Produção Audiovisual iniciou a graduação. "O curso é uma consequência natural da demanda por audiovisuais que já eram produzidos aqui. Somos um grito de resistência em busca de formar profissionais e reforçar a relação que a sociedade tem com o cinema", destaca o coordenador.

De acordo com o professor Hilario Junior dos Santos, primeiro coordenador e o principal envolvido na criação do curso, uma das motivações para a instalação do mesmo foi proporcionar reconhecimento ao mercado latente de produções audiovisuais locais. "Vejo como muito bom o desenvolvimento do curso durante esses anos. Produção Audiovisual cresceu muito e ajudou os cursos de comunicação que estão ao seu lado. Veio para somar e não dividir", complementa.

O curso é o único do Oeste catarinense

O curso é o único do Oeste catarinense, que abrange 118 municípios. Já formou 92 profissionais e, atualmente, conta com 52 estudantes matriculados. Durante os seis semestres, são trabalhados vários formatos, como curta, média e longa-metragem, além de seriados, com histórias de ficção e não ficção. Na graduação, são formados acadêmicos apaixonados por fotografia, outros fascinados por cinema, que desejam montar roteiros e trabalhar com direção, ou ainda os que preferem as questões técnicas, de montagem, captação de som e afins.

Os estudantes são preparados para trabalhar com a realidade da região e se inserir no mercado de diversas formas. A egressa Sabrina Zimmermann, formada em 2013, teve como destino o exterior, para aumentar seus conhecimentos e experiências. Especializou-se em Produção na Escuela Internacional de Cine y Televisión (EICTV), em Cuba. Segundo a egressa, o curso a preparou muito bem para o mercado de trabalho. Teve a oportunidade de estagiar durante a graduação e logo depois de formada trabalhou em uma produtora. "A Unochapecó oferece uma infraestrutura muito boa de laboratórios, além de professores capacitados e maravilhosos", completa. 

Cleiton Jonas Fernandes, que colou grau no início de 2018, alçou outros voos e já participou de produções para a HBO, Globo Play, entre outras produtoras. Além disso, trabalhou nas duas temporadas da série Coisa Mais Linda, da Netflix, que considera sua mais importante atuação. Conforme ele, são projetos que envolvem uma equipe técnica grande e qualificada, além do elenco de atores e atrizes renomados e super bacanas de dividir o set de filmagem.

"Sem dúvidas, Produção Audiovisual me abriu portas e me apresentou inúmeras oportunidades em vários departamentos do cinema e da publicidade, para além da realidade local. O curso entrega ao estudante todo o preparo necessário para inserir-se em produtoras e equipes de qualquer lugar ou região", relata.

Já Donnovan Ferreira da Silva, formado em 2016, explorou os rumos do empreendedorismo. Especializou-se em Direção de Fotografia e Criação Literária e entrou para o mercado de trabalho atuando como freelancer. Depois, surgiram oportunidades de assumir projetos e a necessidade de regularizar sua produtora. "Criar uma empresa, independente do porte, é sempre complexo. Além de toda a burocracia existem os riscos, os investimentos necessários e por aí vai. Iniciamos em 2016 e aos poucos foi possível investir em equipamentos, encaminhar os processos para formalizar, criar marca, e claro, remunerar toda a equipe", explica. 

O curso, que tinha duração de dois anos, passou por mudanças na grade curricular e foi ajustado para três, para possibilitar melhor aproveitamento aos estudantes. No ano que vem, pela primeira vez, serão três turmas simultâneas em andamento, o que representa uma nova fase na trajetória. O curso tem amadurecido e criado projetos para envolver os acadêmicos, aproximá-los da comunidade e levar o cinema em espaços que ele geralmente não estaria.

Mostra Audiovisual Universitária (MAU)

A MAU foi criada em 2015 e consolidou-se como um dos principais eventos do curso. Inicialmente, o intuito era exibir produções próprias, mas passou a abranger, também, produções de Jornalismo e Publicidade e Propaganda. Além disso, neste ano, a mostra tomou proporções internacionais com vídeos encaminhados da Universidade Nacional de Córdoba, na Argentina. 

Assim, é espaço onde a comunidade pode acessar as produções acadêmicas e os estudantes podem conhecer e inspirar-se em produtos de outros lugares.

Cineclube Helena

O Cineclube foi iniciativa dos estudantes e em 2018 tomou proporção de um projeto de extensão vinculado ao curso. Carrega o nome em homenagem a primeira diretora de cinema do Brasil, Helena Solberg. O projeto promove mostras de filmes no ambiente universitário e em espaços alternativos, como colégios, Feira do Livro e ao ar livre. Cerca de sete mil pessoas já foram alcançadas em mais de 40 sessões. 

Cerca de sete mil pessoas já foram alcançadas em mais de 40 sessões

É através da cooperação que o projeto acontece. Enquanto uns organizam os locais do evento e fazem a curadoria dos filmes, outros ficam responsáveis por promover debates e reflexões, para construir a criticidade do público em relação às obras. Além disso, outro grupo torna os eventos conhecidos, por meio da divulgação nas redes sociais. 

Conforme a acadêmica do 2º período e bolsista do projeto, Maria Luiza de Matos, sempre são buscados filmes de difícil acesso e que tenham temáticas sócio-culturais. "É muito bom sentir que faço parte disso. Através do Cineclube podemos enfatizar a importância do audiovisual como instrumento, não apenas de lazer, mas de enriquecimento cultural para toda comunidade", conclui. 

Experiência Audiovisual Universitária (EAU)

Possibilitar integração, criatividade e experiências são os principais objetivos da EAU. A atividade é formada por estudantes da comunicação, que de maneira autônoma e extraclasse, criam produtos audiovisuais. 

Na coletividade, são pensados e desenvolvidos de curtas até longas-metragens. Uma das obras produzidas pela EAU, a websérie 'Viral', que envolveu estudantes de Design, Jornalismo, Produção Audiovisual e Publicidade e Propaganda, foi premiada na Exposição de Pesquisa Experimental em Comunicação (Expocom), do Intercom Sul 2013.

Centro Acadêmico de Produção Audiovisual (Capa)

O Capa, criado em 2018, é a organização representativa dos estudantes. A atuação do Centro Acadêmico é dar voz aos acadêmicos e também ao curso, um dos mais recentes instalados na Instituição. Conforme o estudante do 4º período e presidente da atual gestão, Anthony Lubian, o Centro apoia e ajuda na realização de atividades do curso, como a Semana Acadêmica. "Nossos principais objetivos são unir os estudantes, representar todos da maneira mais democrática e ajudar o curso a se estabelecer e crescer", finaliza.

 

*Estagiária da Acin Jornalismo sob a supervisão de Eliane Taffarel

COMPARTILHE
TAGS
Unochapeco
Producao audiovisual
Bacurau
10 anos producao audiovisual

LEIA TAMBÉM

comments powered by Disqus