Webmail
Menu Busca

Estudantes da Unochapecó são premiados na Expocom Sul 2021

Educação

Texto Luana Poletto e Christopher Marin*

 

O Encontro Inter-regiões 2021, realizado pela Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom), ocorreu na primeira semana do mês de agosto, novamente na modalidade virtual, em função da pandemia de Covid-19. E os estudantes dos cursos de Comunicação da Unochapecó conquistaram quatro premiações na Exposição de Pesquisa Experimental em Comunicação (Expocom), realizada durante o Encontro.

Três prêmios foram do curso de Jornalismo. Na categoria 'Projeto de Assessoria de Imprensa', o produto foi 'Comunicação UNA LGBT Chapecó: Um projeto de comunicação social', dos acadêmicos do 8º período, Fernando Bortoluzzi, Briann Ziarescki e Stefania Martinelli. Na categoria 'Documentário Jornalístico e Grande Reportagem em vídeo e televisão', o trabalho foi 'Eu estou aqui', da egressa Ana Laura Baldo. Na categoria 'Blog', venceu o produto 'TCC Repórter: os bastidores dos trabalhos de conclusão de curso', realizado pela aluna líder Mirella Schuch e os demais colegas da turma do 8º período de 2020, agora egressos. 

A acadêmica do 4º período de Produção Audiovisual, Isadora Rambo Martinelli, ganhou o prêmio na categoria 'Ensaio fotográfico artístico', com o trabalho 'Anatomia: Ensaio Sobre a Interdependência'.

 

Com a palavra, vencedores e orientadores do Jornalismo

O projeto de Assessoria de Imprensa vencedor foi realizado para a UNA, organização de representatividade da população LGBT, em função da preferência dos estudantes em lidar com um cliente social. O acadêmico Fernando Bortoluzzi conta que a sensação da aprovação foi de extrema felicidade.

“Esse foi um trabalho que nos empenhamos bastante. Significa muito para mim a gente poder ter feito um trabalho voluntário, voltado para o social e ainda mais voltado para a pauta LGBT. Trabalhar com a UNA, que é tão importante para Chapecó, foi muito importante principalmente durante a pandemia. Então é muita satisfação saber que a gente ganhou esse prêmio com esse trabalho justamente, e trazendo benefícios para a organização. É um orgulho para mim, tanto para o meu lado profissional quanto pro meu lado humano, eu não poderia estar mais feliz com isso. Vamos levar essa representatividade lá para a fase nacional da Expocom e vamos tentar ganhar esse prêmio”, destaca.  

O orientador dos estudantes, professor Dirceu Hermes, conta que falar sobre ganhar um prêmio na Expocom Sul é, ao mesmo tempo, refletir sobre o trabalho que hoje se realiza no curso de Jornalismo da Unochapecó. “São atividades realizadas dentro das disciplinas, em que o nosso estudante é levado à teoria mas também pensando na prática. O que se diferencia hoje é uma demonstração de que nós estamos no caminho certo. Isso serve de incentivo e motiva tanto o professor, como é o nosso caso, mas principalmente os estudantes, para que acreditem naquilo que estamos trabalhando e também que acreditem no que estão desenvolvendo", destaca. 

O professor salienta que, no caso do projeto de Assessoria de Imprensa, o trabalho foi elaborado por muitas mãos e demonstra que a prática de mercado e o conhecimento precisam ser colaborativos. "O que me orgulha muito foi a temática escolhida pelos estudantes. Quando se propõe um trabalho para dar visibilidade à uma causa, a um movimento social, em que se organiza e luta pelos direitos da população LGBT, é muito importante, porque aí a gente percebe que o nosso estudante está tendo uma formação para fazer a diferença e lutar pela igualdade de direitos”, frisa.

O documentário 'Eu estou aqui' é um Trabalho de Conclusão de Curso. A abordagem é sobre a violência contra a mulher no período de pandemia. Para a egressa Ana Laura Baldo, ganhar o prêmio traz um misto de sentimentos, pois o filme é uma produção caseira e foi feito sem recursos.

“O debate da violência contra a mulher deve ser abordado em todos os espaços e esse era o meu objetivo. Ver meu filme ganhar o Expocom Sul, só prova que esses espaços estão mais atentos a temas sociais. A comunicação tem um papel muito importante na desconstrução de violências. No filme eu trago algumas informações, como a de que os índices de violência contra a mulher aumentaram muito no período de pandemia, mas essa violência existe há muitos anos".

No Brasil, existe a Lei Maria da Penha, que é recente, de 2006, mas segundo Ana, infelizmente, ela ainda não é efetiva. "Nós não temos delegacias especializadas da mulher. A gente precisa de mais políticas públicas, de mais questões efetivas para acabar com a violência contra a mulher. E debater esse assunto, trazer em forma audiovisual e levar isso para um congresso, para uma premiação universitária é muito importante. Eu espero que mais estudantes possam fazer trabalhos com essa temática e a gente cada vez mais construir uma sociedade livre e igualitária para todas as mulheres viverem, porque o que a gente quer é viver livre e sem medo”, ressalta.

A orientadora do trabalho e coordenadora do curso de Jornalismo, professora Angélica Lüersen, conta que cada vez mais essas premiações privilegiam temáticas com viés de discussão social forte. “Percebo que existe uma aderência muito grande de produções do curso nessa perspectiva. Muitas delas privilegiam essa discussão com viés temático, por exemplo, de desconstrução de tipos de violência, de visibilidade para grupos minoritários. Sem descuidar da técnica, mas não privilegiando a técnica como ponto de maior atenção. Acho muito importante também destacar o incentivo dos professores, o incentivo que o curso dá aos estudantes. O processo de orientação oferece muita liberdade para o estudante, para que ele consiga trazer o seu olhar autoral, porque esse é um ponto que se estimula”, comenta.

O blog 'TCC Repórter' foi realizado na disciplina de Marketing de Conteúdo. O blog possui mais de 15 storytellings nos quais os alunos contam como foi o processo de criação dos trabalhos de conclusão de curso. Para a estudante do 8º período, Mirella Schuch, imaginar que de todos os trabalhos nessa categoria do Sul do Brasil, o Blog do curso da Unochapecó foi selecionado como o melhor da região, é ver que os estudantes precisam continuar pesquisando e produzindo, e que isso dá retorno e vale a pena, principalmente pelo aprendizado.

“Mais pessoas vão poder conhecer o TCC Repórter, e, consequentemente, o curso de Jornalismo da Unochapecó, nossas histórias, poder se identificar com elas, e poder ter dicas para tornar esse processo mais tranquilo, mais natural. Esse trabalho é coletivo, tem muitos colegas que contaram suas histórias, e professores que passaram pela nossa formação. Todos contribuíram de alguma forma para que esse trabalho pudesse se concretizar. Nos sentimos vitoriosos por termos passado na etapa regional, e para a próxima fase as expectativas são positivas”, destaca.

O orientador do TCC Repórter, professor Alexsandro Stumpf, conta que é gratificante ter o reconhecimento do trabalho desenvolvido pelos estudantes através de suas pesquisas, das práticas acadêmicas e de ensino. “É uma motivação muito grande para os próprios estudantes, e quem sabe a gente possa dar continuidade no blog, produzindo novos conteúdos, entendendo também a realidade e como funciona o outro lado do TCC de outros estudantes. O comprometimento dos acadêmicos foi muito grande, e tenho certeza que isso nos dá confiança e faz com que a gente acredite que possamos realmente conseguir esse prêmio nacional. O TCC Repórter tem objetivo também de ser visualizado, visto e curtido, e provocar interação com o público geral, aqueles interessados nesse tipo de publicação. Para quem tiver interesse pode acessar o nosso blog e também nosso Instagram. Acredito muito que o curso de Jornalismo quando pensou nessa atividade, acertou na proposta”, conta. 

A professora Angélica destaca que os docentes do curso estão muito comprometidos com o processo de ensino e com a proposição de trabalhos que viabilizem a inscrição dos estudantes em premiações como a da Expocom.

“É importante destacar que cada trabalho tem um orientador. Esse incentivo que o professor traz e a forma também como ele acaba trazendo repertório, instigando o estudante a buscar outras formas de ver e de produzir, resulta em uma entrega muito mais cuidadosa, com mais qualidade certamente. Trazer esses prêmios para casa nos dá a certeza de que a gente está construindo um curso com comprometimento e seriedade, e não só porque eles tem qualidade técnica, mas também porque eles trazem uma significativa contribuição social. Isso, sem dúvida nenhuma, vai fazer com que esse jornalista, egresso do curso, tenha uma formação mais humanizada, mais comprometida também com o todo, com a própria sociedade. Esses alunos que vão nos representar na etapa nacional, estão também representando a própria Unochapecó, levando o nome da instituição juntamente com produções que olham para o local, e que propõe a discussão de temáticas com tanta importância. Certamente, expandindo o alcance dessas produções, elas vão oportunizar que outros grupos consigam discutir sobre temas sociais de relevância”, frisa.

 

Ensaio fotográfico artístico 

O ensaio 'Anatomia: ensaio sobre a interdependência', da estudante Isadora Rambo Martinelli, teve como base a leitura do livro 'Revolução das Plantas: Um Novo Modelo Para O Futuro', de Stefano Mancuso, acerca da inteligência das plantas. O objetivo do trabalho é propor a reflexão sobre a interdependência da vida humana com a natureza, e o papel do ser humano como agente responsável.

“Acredito que um trabalho é criado não só com o conhecimento adquirido, mas com toda a vivência do autor. Eu acho que cada trabalho tem sua importância e características únicas, porque cada vivência é realmente única. Porém, fico extremamente feliz do meu trabalho e o assunto proposto estar sendo reconhecido, é de suma importância olharmos para essa questão. A fotografia para mim é muito importante, é algo em que me envolvo demais, e isso significa muito mesmo. Agradeço principalmente aos meus amigos, familiares e professores por terem me apoiado tanto, definitivamente esse prêmio é de todos nós, ninguém chega em algum lugar sozinho. Estou animada com o que está por vir!”, destaca Isadora.

A orientadora do trabalho, professora Angélica Lüersen, comenta que estar entre os vencedores é uma grande alegria e um motivo de orgulho. “Isso motiva tanto os professores quanto os estudantes. A premiação é avaliada por pessoas da própria área da comunicação, e esse fato nos dá ainda mais ânimo, ainda mais interesse em participar, porque respalda o trabalho que a gente vem desenvolvendo. A própria proposição de trabalhos que dialoguem com a temática da Expocom é um fato que percebemos como importante no processo, no decorrer dos semestres. As expectativas para a próxima fase são as melhores possíveis”, conta.

Para o coordenador do curso de Produção Audiovisual, professor Franscesco Flavio da Silva, ter novamente trabalhos selecionados para a etapa nacional do evento, representando a região Sul do país, é motivo de muito orgulho, ainda mais se tratando de trabalhos que foram desenvolvidos durante a pandemia, em 2020. “Tudo foi mais difícil e desafiador. Esse mérito é dos estudantes e professores que demonstraram garra e alto grau de qualidade. Todos os anos incentivamos os estudantes a inscreverem seus trabalhos em eventos científicos e mostras audiovisuais. No Intercom-Sul, por exemplo, temos uma significativa presença nos últimos anos, e no Nacional também. Este estímulo se deve a necessidade que sentimos de expor nossos trabalhos para o público. É mais do que apenas compartilhar esses conteúdos, é uma forma de contribuição social que fazemos promovendo reflexão, crítica, entretenimento e arte. Isso mostra o quanto os estudantes e os professores estão engajados, desenvolvendo projetos com relevância e qualidade”, finaliza. 

 

Próxima etapa - 44º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação

O evento, organizado pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), acontecerá na modalidade virtual entre os dias 4 a 9 de outubro de 2021, e terá como tema "Comunicação e resistência: práticas de liberdade para a cidadania". Diante das contradições nesse tempo difícil para os brasileiros, a Intercom considera que esta temática, ao remeter à Paulo Freire, justamente no ano do seu centenário de nascimento, ajuda a pensar em como quebrar um ciclo reacionário político e ideológico extremista que ameaça um ideário civilizatório de reconhecimento de direitos e liberdade ao qual, de acordo com a entidade, não cabe retrocessos.

 

*Estagiários da Acin Jornalismo, sob supervisão de Eliane Taffarel

COMPARTILHE
TAGS
Producao audiovisual
Premiacao
Jornalismo
Expocom

LEIA TAMBÉM

comments powered by Disqus