Webmail
Menu Busca

Exposição do Ceom retrata a realidade médica do passado

Cultura

Texto Ana Vertuoso*

 

Nos dias de hoje, quando precisamos de atendimento médico, podemos recorrer a diversos profissionais especializados de forma rápida e, muitas vezes, gratuita. Porém, a realidade da nossa região nem sempre foi essa. A nova exposição organizada pela equipe do Centro de Memória do Oeste de Santa Catarina (Ceom) já está aberta para visitação e traz relatos de alguma décadas atrás, quando os atendimentos eram realizados em casa, as benzedeiras realizavam a maior parte dos tratamentos e visitas ao dentista eram coisa rara.

Instrumentos de trabalho de Otília Hallis, parteira de Pinhalzinho

A exposição 'Saúde, doença e cura: aspectos dos tratamentos e atendimentos realizados no Oeste Catarinense durante o século XX' reúne elementos históricos da saúde na região. As amostras coletadas nos acervos do Ceom, da Casa de Memória de São Carlos e do Hospital Regional São Paulo pertenciam a profissionais que atuavam na região desde o início do século passado. Os materiais ilustram um período em que as instituições religiosas eram responsáveis por instalar hospitais, e com práticas que hoje já foram reconsideradas, como a extração de dentes saudáveis para evitar que um dia eles pudessem incomodar o paciente.

Todo o trabalho de montagem e exibição foi realizado de forma coletiva. Além das parcerias com hospitais e museus, diversos relatos de moradores que passaram por todas as mudanças foram ilustrados pelas artistas Daiane Caroline Felipeto e Lara Andrade Camine, que integram a equipe do Ceom. "Nós procuramos incluir de forma multidisciplinar os cursos da Unochapecó. Além das meninas, nós também tivemos a ajuda de alguns acadêmicos de Design e Jornalismo, e de uma estudante de História da Universidade Federal Fronteira Sul (UFFS), na pesquisa e no levantamento das notícias antigas referentes a saúde", explica a educadora do Ceom, Aline Bertoncello.

A mostra ficará aberta para visitação até o dia 31 de agosto, das 08h às 17h30, no Ceom. Grupos interessados em conferir a exposição serão atendidos mediante agendamento.

 

*Estagiária, sob supervisão de Gabriel Kreutz, com informações do Ceom

COMPARTILHE
TAGS
Unochapeco
Saude doença e cura
Exposiçao
Ceom

LEIA TAMBÉM

comments powered by Disqus