Webmail
Menu Busca

Heróis da vida real

Comunidade

Texto Ana Vertuoso*

 

Em um cantinho quase escondido da ala oncológica do Hospital da Criança de Chapecó, nove princesas e super-heróis desfilam de um lado para o outro. Com sorrisos de orelha a orelha, por instantes eles esquecem onde estão ao entrarem na Brinquedoteca, que mais parece um universo paralelo, recheado somente de alegria e positividade. Isso ficou ainda mais visível na tarde da última quarta-feira (17/04), graças ao projeto 'Alegria de um olhar'. Ele integra o programa Sorriso para a Vida da Unochapecó e proporcionou que crianças que enfrentam o tratamento contra o câncer pudessem participar de uma sessão de fotos especial. A atividade contou com o apoio da Fullpack Embalagens, Zoom Soluções Visuais, Perfil Digital e da comunidade que doou as fantasias.

A pequena Sarah, de apenas 11 anos, foi uma das últimas a posar para as lentes da fotógrafa Kalinca Ritter, da Perfil Digital. A menina não parecia confortável com seu vestido verde, estava tímida e não sorria para a câmera. Porém, quando a fotógrafa sugeriu uma nova fantasia, Sarah se transformou. Com um vestido vermelho e dourado, ela disse se sentir como uma rainha. Título que, por sinal, combina muito com a jovem, que impressiona até mesmo os profissionais que convivem com ela constantemente.

A acadêmica do 3º período de Educação Física, Patrícia Luquini, do programa Sorriso para a Vida, é uma dessas pessoas. A voluntária passa todas as tardes no hospital, e, abraçada com Sarah, expressa sua gratidão em contribuir para a recuperação das crianças. "Cada um tem uma experiência, cada um é diferente do outro e é muito bom poder conviver com eles, trazer um pouco de alegria. Eu gosto bastante de trabalhar com eles, cada sorriso é muito bom, a gente vem com vontade para cá", explica.

Sarah foi uma das últimas crianças a posar para as fotos

E um grande sorriso é algo que Sarah conhece bem. Sem parar de sorrir por um instante sequer, a menina conta que queria participar do projeto desde quando viu as fotos da primeira edição, realizada no ano passado. "Eu achei muito legal esse projeto. Eles fazem algo muito bacana para as crianças se distraírem e não pensarem no tratamento, para elas serem o herói ou a princesa que quiserem ser".

Além disso, a data foi ainda mais especial para a jovem rainha, que celebrou seu aniversário no mês anterior e considera o ensaio como um presente de despedida do hospital. Sarah terminou o tratamento e logo poderá ir para casa tranquila, com uma bela foto e um lindo vestido, que ficará como lembrança dos amigos que fez e da equipe hospitalar que a ajudou. 

No entanto, Sarah não é a única estrela do projeto. Mais crianças participaram, como o pequeno Eduardo Gabriel. Ele terminaria o seu tratamento em março, porém, recebeu a notícia de que precisará continuá-lo por mais alguns meses. Durante a sessão, ele escolheu se transformar no Homem-Aranha, por gostar das teias que o personagem lança. Para sua avó, Sueli Alves, atividades como esta tranquilizam tanto o menino, quanto os familiares. "Momentos assim são bons porque eles se distraem um pouco, é uma forma de esquecer o sofrimento. Ele geralmente fica bem irritado porque não quer ficar aqui, mas quando trazemos ele para brincar, ele fica mais calmo", comenta.

 

Sorriso para a Vida

Desde 2003, o programa Sorriso para a Vida atende crianças e adolescentes internados na pediatria e oncologia do Hospital da Criança de Chapecó. A ação, composta por dez projetos, desenvolve atividades lúdicas, educativas e de saúde, mediadas por professores e acadêmicos dos cursos de Educação Física, Enfermagem, Fisioterapia, Medicina, Nutrição e Odontologia.

O programa atua para melhorar a saúde bucal, promover a alimentação saudável e ensinar técnicas de higienização que auxiliam na prevenção de doenças transmissíveis, além de ser responsável pelas duas brinquedotecas do hospital.

Para a coordenadora do programa, professora Lilian Beatriz Schwinn Rodrigues, atividades como a proporcionada pelo projeto 'Alegria de um olhar' eternizam uma situação não muito agradável, mas que faz parte da história de cada criança. "É um momento feito de dores e incertezas, mas por trás há sempre uma criança que sorri, quer brincar, tem desejos e necessidades muito próprias desta idade", finaliza.

Neste ano, além dos recursos institucionais, o programa conta com recursos públicos oriundos do Fundo da Infância e Adolescência (FIA), edital lançado pela Secretaria Municipal de Assistência Social, e do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Chapecó.

 

*Estagiária sob supervisão de Jessica De Marco

COMPARTILHE
TAGS
Super-herois
Sorriso para a vida
Hospital da criança
Alegria de um olhar

LEIA TAMBÉM

comments powered by Disqus