Webmail
Menu Busca

Impulso na vida acadêmica e profissional

Educação

Texto Gabriel Kreutz*

 

Todas as etapas de uma graduação são importantes. Mas aquilo que a maioria dos estudantes quer mesmo, é entrar no mercado de trabalho e colocar em prática tudo que está aprendendo, o quanto antes. Para quem está fazendo um curso onde nunca atuou na área, um dos momentos mais esperado é justamente esse primeiro contato. E, na maioria das vezes, ele ocorre por meio do estágio.

Foi assim que aconteceu comigo. Quando estava no 5º semestre de Jornalismo da Unochapecó, em 2015, a vontade de começar a trabalhar na minha área era muito grande. Até aquele ano, que já era o terceiro do curso, ainda não havia atuado em nada que tivesse relação com o Jornalismo. Em abril, no entanto, surgiu uma vaga de estágio para a Assessoria de Imprensa da Universidade. Sabia que era isso que eu queria, pois sempre me interessei por assessoria. Me inscrevi, fiz a prova, a entrevista, e deu certo. Naquele mesmo ano me mudei para Chapecó e iniciei a minha primeira experiência profissional na área.

A partir de então, passei a viver outra realidade, não somente em relação à minha profissão, mas também sobre minha visão do mundo. Comecei a ter noção de quão grande a Universidade é. Também, pude ter outras perspectivas da minha profissão, coisas que foram além da sala de aula, que passaram a influenciar e moldar o profissional que sou hoje.

Fiquei como estagiário até o fim de 2016, quando concluí o meu curso. Tive outras experiências em veículos de comunicação no ano seguinte, mas, como sempre dizem que o bom filho à casa torna, em 2018, surgiu uma vaga na Assessoria, e resolvi me candidatar. Depois de passar por todo o processo, tive a grata notícia de que havia sido selecionado, desta vez para trabalhar como jornalista no local onde iniciei minha trajetória profissional dentro da área do curso que escolhi. 

Hoje, no Dia do Estagiário e Monitor, trago outras duas histórias bem especiais, da Indiamara e da Sheyla, que reforçam a importância do estágio na vida acadêmica e profissional.

 

Visão mais crítica

Indiamara realiza estágio no Setor de Projetos

A história da estudante do 10º período de Arquitetura e Urbanismo, Indiamara Rosignol, com o estágio na Unochapecó iniciou em julho do ano passado, quando estava no 7º período. Ela passou a atuar no Setor de Projetos, dentro da Diretoria de Gestão de Recursos, supervisionada pelo arquiteto e urbanista Maico Galinski. Apesar de já ter tido contato com a área, essa foi a primeira vez que ela teve experiência prática da parte projetual da profissão.

"O estágio está sendo essencial para entender melhor e aperfeiçoar a visão do profissional como parte da empresa e atuação como futura arquiteta e urbanista. Ampliei meus horizontes com uma visão mais crítica sobre a formação acadêmica vinculada às funções exercidas e o cenário empresarial. Adquiri, também, uma ampla visão sobre como é conviver em uma equipe com metas, datas e responsabilidades projetuais".

Em sua rotina, está a realização de projetos arquitetônicos de reforma, adequação, acessibilidade e todos os projetos exigidos pelos bombeiros, como os hidrossanitários e elétricos, para a própria Instituição. Assim como ressaltei que o período do meu estágio foi de muito crescimento, Indiamara também acredita que o conhecimento adquirido nessa etapa será de grande valia para sua carreira de arquiteta e urbanista. "Cada experiência está sendo única, enriquecendo meu currículo e minha carreira profissional com resultados obtidos, dificuldades encontradas e solucionadas com as experiências vivenciadas", completa a estudante.

 

Um leque de coisas boas

A segunda história também é de uma estudante que está no último período de seu curso, e iniciou o estágio na Universidade em 2019. Sheyla Patricia De Souza é acadêmica do 9º período de Odontologia e realiza estágio no Banco de Dentes Humanos da Unochapecó. Essa vaga era muito desejada pela estudante, e, após passar pelas etapas de seleção, ela relata que foi muito gratificante receber a mensagem de que foi aprovada.

Sheyla realiza estágio no Banco de Dentes Humanos

"Essa vaga significa muito pra mim, tanto em questão de novas experiências, aprendizados, desenvolvimento de competências, quanto a parte de remuneração e de que as horas trabalhadas poderem ser utilizadas como ACCs. Além do estágio não obrigatório, meu curso fornece o estágio obrigatório, que é desenvolvido na Clínica Escola, em Unidades Básicas de Saúde (UBS) e com atendimento a pacientes, nos levando a ter um primeiro contato diretamente com a nossa futura profissão", conta Sheyla.

Em seu estágio, a estudante realiza a organização e manutenção dos dentes, bem como a manipulação, seleção, lavagem, esterilização e armazenamento. Faz parte também de suas funções, o recebimento e entrega de termos e dentes para os acadêmicos e atualização do sistema conforme demanda. São atividades que vão além, é um conhecimento a mais que a Universidade proporciona, e como a própria estudante comenta, passar por um estágio durante a graduação nos ajuda a sentir mais confiança em nós mesmos e a enfrentar as situações.

De fato, quem passa por um estágio, seja ele obrigatório ou não, passa a ter outra perspectiva da profissão. Por isso que ele representa uma evolução em nossas vidas. Para Sheyla, o estágio também tem um significado muito especial.

"É um leque de coisas boas. Percebo muita diferença de quando entrei para o estágio e de como estou agora. Aprendi e cresci muito. Essa vivência me fez lidar melhor com as pessoas, situações e obstáculos. Muitas vezes o novo nos assusta, mas nos fortalece e nos constrói em vários sentidos", finaliza a estudante.

 

*Jornalista - Assessoria de Imprensa Unochapecó

COMPARTILHE
TAGS
Unochapeco
Dia do estagiario e monitor

LEIA TAMBÉM

comments powered by Disqus