Webmail
Menu Busca

Jornalistas egressos da Uno são premiados pela Fapesc 

Profissão

Texto: Luana Poletto*

 

Jornalistas trabalham com o dever de informar os fatos relevantes e contar histórias. O curso de Jornalismo da Unochapecó, em sua trajetória de mais de 20 anos, tem buscado formar profissionais que atuem sempre com ética e responsabilidade. Quando ocorre o reconhecimento de trabalhos com prêmios, isto é resultado de uma formação qualificada com o esforço de quem desenvolveu as produções. Neste sentido, na última quinta-feira (28), a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) divulgou os vencedores do 1º Prêmio Fapesc de Jornalismo em CTI – Ciência, Tecnologia e Inovação. Na ocasião, foram premiados os trabalhos de cinco jornalistas egressos da Unochapecó. 

Ao todo, 37 jornalistas de todas as regiões do Estado foram reconhecidos. O prêmio contemplou cinco categorias: mídia impressa, internet, fotografia, rádio e TV – dividido em etapas regional e estadual. Os vencedores das regiões Norte, Sul, Oeste, Vale do Itajaí, Serra e Grande Florianópolis disputaram o prêmio Estadual. 

Os jornalistas Gabriel Kreutz e Liziane Vicenzi levaram cinco troféus: 1° lugar Estadual em Fotojornalismo; 3° lugar Estadual com a reportagem para a internet; 1° e 2° lugar na etapa Regional Oeste em Fotojornalismo;  e 1° lugar Regional Oeste em reportagem para a internet. A reportagem 'Startups do Agro: modelo de negócio desenvolve soluções inovadoras para o campo' foi publicada no Clic RDC.

Liziane destaca o sentimento de alegria e realização profissional. “Os prêmios significam que todo o esforço foi recompensado e que tudo o que pensamos e executamos se materializou em um texto jornalístico e em fotos com muita qualidade e informação. Eu me sinto especialmente realizada em ter elaborado a pauta, o texto, as fotos, enfim, todo o processo, junto ao meu companheiro Gabriel”, salienta. Ela também conta que o trabalho em dupla fluiu muito bem e ambos são gratos pelas fontes qualificadas que contribuíram no processo, por familiares e amigos que também apoiaram, torceram e vibraram com as conquistas. 

A jornalista relata que esses prêmios deram uma motivação e o entusiasmo que ela estava precisando bastante.

“Em muitos momentos a profissão desgasta e apresenta desafios inesperados. Mas, ainda acredito muito no Jornalismo, na pauta pensada e produzida com qualidade, na informação aprofundada, que realmente acrescente para o público. Defendo vínculos afetivos no Jornalismo e no quanto ele ainda pode transformar uma realidade, a vida de uma pessoa. Espero produzir mais matérias e participar de mais prêmios. Esse reconhecimento com certeza me motivou a me dedicar mais no meu trabalho, no doutorado e em tudo que envolve essa profissão que tanto amo”, ressalta.

Gabriel conta que pensar na pauta da reportagem foi muito interessante, pois juntos eles resolveram abordar inovação e agronegócio, que é tão relevante para a região. “O que mais chamou nossa atenção foram os dados que envolvem esse tema em Chapecó e região, e tanta coisa que já é desenvolvida, mas muitas pessoas não têm conhecimento. Acho que um dos principais desafios de informar sobre inovação é justamente o fato de ser algo 'novo', e por conta disso, muitas pessoas não têm tanto conhecimento sobre. Mostrar que tantas coisas já são desenvolvidas é muito importante para fortalecer esse cenário e incentivar mais jornalistas a escreverem sobre o assunto, dando visibilidade para esse mercado da inovação, que está em crescente expansão em Chapecó”, destaca.

Para os estudantes de jornalismo que buscam prêmios para se inscrever, ele aconselha que fiquem atentos, pois muitos editais na área abrem durante o ano, com modalidades para os acadêmicos. “Busquem entender a proposta, elaborar uma pauta concreta, e se dedicar muito para construir um produto (texto, áudio, vídeo ou foto) de qualidade”, frisa.

Na categoria Mídia Impressa, a Revista Flash Vip recebeu o 1º lugar da regional Oeste e o 3º lugar do Estado de Santa Catarina, com a reportagem ‘Eu, Robô’, escrita pela jornalista Carol Bonamigo, publicada na edição #86.  A diretora de Jornalismo da revista, Carol, relata o sentimento de satisfação, orgulho e de dever cumprido com o recebimento do prêmio.

“É uma confirmação de que o trabalho foi bem feito. Sabemos que vários outros veículos e profissionais muito qualificados também inscreveram suas produções, então fiquei muito feliz por estar entre os melhores. Significa uma validação do meu trabalho, mostra que está no caminho certo”, salienta. 

Carol Bonamigo ficou em 3º lugar do Estado com a reportagem ‘Eu, Robô’

A matéria ‘Eu, Robô' aborda sobre o futuro do mercado de trabalho na era da automação, e traz reflexões sobre tecnologia, inteligência artificial, educação e capacitação. Para a produção, Carol conta que conversou com pessoas que trabalham na área de inovação e tecnologia, para que eles pudessem trazer também seus pontos de vista. “É muito legal pegar essas pautas nacionais ou mundiais, que estão em alta e ver que na nossa região nós temos pessoas capacitadas e qualificadas para falar sobre isso, então é algo bem satisfatório de ver quando a gente atinge também esse objetivo”, destaca. Além disso, ela ainda relata sobre a importância de trazer essas informações e pautas para a população. “A tecnologia agora é um caminho sem volta, cada vez mais ela está inserida na nossa vida e é algo que muda com muita frequência, e a gente não precisa ter medo dela, muito pelo contrário”, frisa. 

Carol ainda destaca a relevância do prêmio para enaltecer o veículo de comunicação e demonstrar o trabalho sério e qualificado que é feito. “E em relação a mim, quanto profissional, eu me sinto mais motivada para continuar o meu trabalho, de forma séria e cada vez mais indo atrás de fontes, de pesquisar. É aquele gás para continuar trabalhando cada vez mais e tentando ser melhor”, conta.

A jornalista também deixa um conselho para os estudantes de Jornalismo. "Não escrevam as matérias pensando em prêmios, acho que esse não é o caminho certo. Pensem em pautas relevantes, em maneiras diferentes de contar uma história, em ter pontos de vista diferentes, trazer fontes muito qualificadas para as suas matérias. Então que, em cada matéria, façam pensando que seja o melhor possível, porque precisa ser feito. Um dia o reconhecimento vem”, finaliza.

Além destes, na categoria Telejornalismo, Diego Antunes levou o 2º lugar na etapa regional com a reportagem 'Covid-19: Senai Chapecó conta com laboratório para diagnóstico da doença'; e Ary Spindula Junior o 3º lugar com a reportagem 'Tecnologia reduz consumo de água no Hospital da Criança de Chapecó'. Ambas foram exibidas pela ND TV.

 

*Estagiária da Acin Jornalismo, sob supervisão de Eliane Taffarel

COMPARTILHE
TAGS
Unochapeco
Premio
Jornalismo
Fapesc
Egressos
Ciencia tecnologia e inovacao

LEIA TAMBÉM

comments powered by Disqus