Webmail
Menu Busca

Valor do Cesto Básico cai pelo terceiro mês seguido

Mercado

No mês de agosto, o custo do cesto básico em Chapecó apresentou queda de -2,15% em relação ao mês anterior. Diante desta variação, o consumidor chapecoense necessita de 1,35 salários mínimos para adquirir o cesto. Os dados são da pesquisa realizada mensalmente pelo curso de Ciências Econômicas da Unochapecó, em parceria com o Sindicato do Comércio (Sicom). Neste mês, a pesquisa foi ocorreu nos dias 01 e 02, levando em consideração o consumo de famílias que recebem de 1 a 5 salários mínimos.

De acordo com o levantamento, a batata inglesa sofreu uma queda expressiva com relação ao mês anterior (-22,49%). Isso porque a oferta da hortaliça foi maior em agosto devido ao ritmo acelerado de safra de inverno e a sua qualidade inferior, segundo o site HF Brasil. Já a cebola registrou aumento de 42,24% nos preços por conta da escassez do produto na maior parte das regiões do país, impulsionada pela chuva e frio.

Em agosto, o custo monetário do cesto básico sofreu nova redução, em maiores proporções com relação à queda anterior, que foi de R$5,51. Neste mês, a variação foi de R$27,38, uma boa notícia para o consumidor, já que o valor do cesto passou para R$1.351,34. Porém, mesmo com essa queda, se comparado com agosto de 2018, quando o custo era de R$1.303,69, o cesto básico ainda sofreu um aumento de 3,66%. 

Analisando separadamente os grupos e subgrupos que compõe o cesto básico, é possível observar que os produtos alimentares apresentaram queda de -3,73% entre os meses de julho e agosto. Já entre agosto de 2018 e agora, os produtos alimentares apresentam elevação de 4,44%. O subgrupo que mais sofreu aumento no último mês foi o in natura (+35,45%), enquanto os demais produtos tiveram variação negativa.

Os produtos não alimentares apresentaram queda entre julho e agosto (-2,45%) e aumento de 3,86% nos últimos doze meses. No mês passado, esse grupo de produtos custava ao consumidor R$108,64, passando a R$105,97 em agosto. No mesmo período de 2018, o custo com os produtos não alimentares era de R$ 102,04.

Com relação ao grupo dos produtos tarifados, houve elevação na comparação julho/agosto de 2019. O custo com esse grupo de produtos passa de R$302,82 em julho, para R$310,04 em agosto, mostrando um aumento de 2,38%. A grande responsável por esse aumento foi a energia elétrica, que aumentou 7,91%, devido à bandeira tarifária amarela.

 

Cesta Básica

A cesta básica é a síntese dos preços de treze dos principais produtos que compõem o cesto básico. São eles: açúcar, arroz, café moído, carne bovina, farinha de trigo, feijão preto, leite, banana, margarina, óleo de soja, pão francês, batata inglesa e o tomate.

Comparando os meses de julho e agosto, o custo da cesta básica em Chapecó, apresentou redução de -7,90%. O valor passou de R$346,43 em julho, para R$319,05 em agosto, uma queda maior que a registrada no mês anterior (-1,48%). Se comparados os últimos doze meses, nota-se um aumento de 7,24%, já que em agosto de 2018 o custo da cesta básica era de R$297,52. Com a redução, o consumidor passa a necessitar de 0,32 salários mínimos para adquirir a cesta básica.

COMPARTILHE
TAGS
Recuo
Ciencias economicas
Cesto basico
Cesta basica

LEIA TAMBÉM

comments powered by Disqus