Webmail
Menu Busca

Valor do cesto de produtos básicos aumenta em relação ao último ano

Mercado

O curso de Ciências Econômicas da Unochapecó, em parceria com o Sindicato do Comércio da Região de Chapecó (Sicom), apresentou os resultados da pesquisa acerca do valor do cesto básico em Chapecó de setembro. Em comparação ao mesmo mês do ano passado, houve um aumento significativo de 22,13%, quando o valor do cesto era de R$ 1.506,36.

 Segundo dados disponibilizados pelo levantamento, o aumento mais significativo neste período de um ano foi registrado pela batata doce, com 32,48%. Em contrapartida, a alface foi o item que registrou a maior queda percentual, de 33,64%. Já em relação ao mês anterior, de agosto, o valor dos cinquenta e sete produtos básicos obteve redução de 0,18%, passando a custar o preço médio de R$ 1.839,66.

Os resultados englobam produtos de higiene e limpeza, alimentos in natura, semi-industrializados, industrializados, e serviços tarifados. Ainda em relação ao mês anterior, pesquisa verificou que os artigos de higiene subiram 0,82% e no grupo dos materiais de limpeza houve aumento de 0,84%. Os produtos in natura apresentaram redução de 8,28%. Já os semi-industrializados aumentaram 2,12% e nos produtos industrializados a elevação foi de 0,50%. O grupo de serviços tarifados, como energia elétrica, água e gás de cozinha, quando comparado com agosto, subiu de preços em 1,21%. Neste mês, uma família chapecoense necessita de 1,67 salário mínimo líquido para adquirir o cesto.

Cesta básica também aumenta

Na pesquisa também constam os preços registrados em Chapecó para os treze produtos que compõem a cesta básica: açúcar, arroz, banana, batata inglesa, café moído, carne bovina, farinha de trigo, feijão preto, leite, margarina, óleo de soja, pão francês e tomate. Conforme analisado, em setembro do ano passado o valor foi de R$ 365,08, o que representa elevação  de 30,02% em 12 meses. Em relação ao mês anterior, a cesta apresentou queda de 0,23%, passando a custar R$474,67,00.

 

Quer saber mais sobre os resultados da pesquisa? Confira a análise que o pró-reitor de Planejamento e Desenvolvimento, professor Marcio da Paixão Rodrigues, fez em entrevista para o Jornal do Almoço, da NSC TV, na última semana. 

 

 

Com informações do Extra Comunica

COMPARTILHE
TAGS
Produtos
Consumo
Cesto básico
Cesta básica
Alta

LEIA TAMBÉM

comments powered by Disqus