Webmail
Menu Busca

Valores do cesto e cesta básica recuam em junho

Mercado

Neste mês o custo do cesto básico em Chapecó reduziu 2,54% se comparado com maio. O valor passou de R$ 1.422,61 no mês anterior para R$ 1.386,54 em junho. Diante desta variação, o consumidor chapecoense passa a necessitar de 1,39 salários mínimos para adquirir o cesto, que conta com produtos que vão desde alimentos in natura, até serviços tarifados. Os dados são da pesquisa que é realizada mensalmente pelo curso de Ciências Econômicas da Unochapecó em parceria com o Sindicato do Comércio (Sicom), através do Sicom Pesquisas.

A pesquisa foi realizada nos dias 03 e 04 de junho, em dez estabelecimentos comerciais do município, levando em consideração o consumo de famílias que recebem de 1 a 5 salários mínimos conforme a Pesquisa de Orçamento Familiar (POF). Mesmo com essa queda, na comparação dos últimos doze meses o cesto básico ainda sofreu um aumento de 4,02%, pois em junho de 2018 o custo era de R$1.332,98.

A banana é o produto que mais sofreu redução nos preços, uma queda de 43,70%. Segundo o site HF Brasil, o principal motivo é a alta oferta e concorrência entre banana prata e banana caturra. Já a alface sofreu uma alta expressiva de 23,86% devido a uma menor área plantada por seus principais produtores, como retrata o site. Gerando uma menor oferta da hortaliça, o volume de sobras foi menor e maior parte da mercadoria acabou sendo escoada.

Em relação ao tomate comum, depois de uma retração no mês de maio, o preço no mês de junho volta a subir. A queda nas temperaturas tem atrasado a maturação dos tomates, o que tem reduzido a oferta nos mercados e consequentemente elevado seus preços, é o que diz o site HF Brasil. Porém, com a queda na demanda por saladas no período de inverno por conta do frio, é possível que o preço do tomate volte a sofrer alguma queda a partir do momento em que a oferta voltar ao normal.

Analisando separadamente os grupos e subgrupos que compõe o cesto básico, observa-se que ocorreram variações anuais mais significativas em relação à comparação entre maio e junho de 2019. Os produtos alimentares apresentaram as principais variações, tanto entre os meses de maio e junho 2019 como entre junho/2018 e junho/2019. Entre maio e junho os produtos alimentares sofreram uma queda de 3,69% nos preços, já com relação aos últimos doze meses o resultado ainda é um aumento de 4,34%. O subgrupo dos alimentares que mais sofreu aumento no período de um ano foi o subgrupo in natura, com um aumento de 12,09%.

Ao contrário dos produtos alimentares, os produtos não alimentares apresentaram um pequeno aumento entre maio e junho, 1,38% e em comparação com o mesmo período do ano passado o preço subiu 6,90%. Esse grupo de produtos custava em maio R$ 108,12 e passou a custar em junho R$ 109,62. Comparando os últimos doze meses o aumento é ainda maior, em junho de 2018 o custo com os produtos não alimentares era de R$ 102,54.

Com relação ao grupo dos tarifados houve uma pequena redução de 0,04% na comparação com maio. Os produtos responsáveis pela redução nesse grupo foram a energia elétrica (- 0,84%) e o gás de cozinha (+ 0,70%). O cálculo da energia é feito com taxas e bandeiras do mês anterior a divulgação do boletim (levando em consideração a forma de cobrança da Celesc). Conforme a metodologia, a bandeira tarifária utilizada na divulgação deste boletim foi de maio de 2019, no caso, bandeira verde, sem custo para os consumidores.

 

Cesta Básica

A cesta básica é a síntese dos preços de treze dos principais produtos que compõem o cesto básico. São eles: açúcar, arroz, café moído, carne bovina, farinha de trigo, feijão preto, leite, banana, margarina, óleo de soja, pão francês, batata inglesa e tomate.

Comparando os meses de maio e junho de 2019, o custo da cesta básica em Chapecó, nos mercados pesquisados, apresentou redução de 2,51%. O custo da cesta básica passou de R$ 359,95 em maio para R$ 351,63 em junho, uma variação um pouco mais significativa que a registrada no mês anterior, que foi de - 0,40%. Se comparados os últimos doze meses da cesta básica, nota-se um aumento 3,72%. Em junho de 2018 o custo da cesta básica era de R$ 339,03. Com a redução, agora o consumidor passa a necessitar de 0,35 salários mínimos para adquirir a cesta básica.

COMPARTILHE
TAGS
Unochapeco
Ciencias economicas
Cesto basico
Cesta basica

LEIA TAMBÉM

comments powered by Disqus