Minha Uno
Webmail
Menu Busca

Atividade foi realizada no município de Passos Maia em parceria com a Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI)

Geral

Desenvolver nos jovens pesquisadores a habilidade para a elaboração e execução de pesquisa cientifica em ecologia. Esse foi o objetivo da disciplina Ecologia de Campo realizada pelo mestrado em Ciências Ambientais da Unochapecó, juntamente com o mestrado em Ecologia da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI). A disciplina é oferecida pela linha de Biodiversidade, Conservação e Manejo de Recursos Naturais do mestrado da Unochapecó.

A atividade foi realizada entre os dias 18 a 22 de novembro na Fazenda Recreio, pertencente à Adami S.A., no município de Passos Maia. Durante o período, os estudantes desenvolveram projetos orientados e projetos livres, onde aplicaram seus conhecimentos adquiridos nas disciplinas fundamentais do curso na qual puderam testar teorias ecológicas em pesquisas de curta duração. Esta atividade resultou na elaboração de 18 projetos, nos quais há temas como "Herbivoria e mecanismos de defesas das plantas", "Relação tamanho corporal e abundância dos organismos" e "A teoria da Biogeografia de Ilhas". Os mestrandos tiveram aulas teóricas sobre método científico, redação científica, métodos de estudos em campo e análise de dados.

foto

Conforme o coordenador do programa de mestrado da Unochapecó, professor Jacir Dal Magro, a atividade propiciou o exercício do trabalho em equipe e a integração entre estudantes e docentes das duas instituições, o que contribui para o fortalecimento desses programas de pós-graduação. Segundo a professora Gilza de Souza Franco, “nesta disciplina é esperada a total imersão dos estudantes nas atividades de pesquisa. Desta forma, em curto espaço de tempo estes passam por todas as etapas de uma pesquisa, desde a elaboração do projeto até a escrita do artigo e apresentação”, explica.

Para a mestranda Fernanda de Carvalho Bisolo, a atividade foi positiva, pois permitiu, durante o tempo da atividade, o contato com os outros estudantes e professores e também outras temáticas. “Eu tive a oportunidade de trabalhar com dois temas de artigos que não era minha área de conhecimento. Com isso o aproveitamento, a troca de experiência e o aprendizado foram grandes. Acredito muito que essas ideias de fazer parceria com outras universidades e proporcionar essa troca de conhecimento só vem a somar para o desenvolvimento pessoal e profissional de cada estudante de mestrado”, acrescenta Fernanda.

COMPARTILHE

LEIA TAMBÉM

comments powered by Disqus