Webmail
Menu Busca

Oficina: Performatividade e teatralidade na tradição oral e outras peregrinações poéticas

 

O curso

Visa promover um encontro entre sujeitos e conceitos dispostos a produzir tensionamentos e interstícios entre palavra, corpo e cena, criando espaços híbridos que têm como eixo motriz a oralidade, para assim desenvolver estratégias pessoais que deem suporte nas práticas de contação de histórias, tanto em caráter pedagógico como artístico.

 

Ementa

Esta oficina aborda, a partir de um viés teórico-prático, as possibilidades de constituir um processo criativo pautado na oralidade e suas tensões e deslocamentos quando atravessado pelas noções de performatividade e teatralidade. Partindo de pressupostos teóricos e históricos dos Estudos da Performance, a oficina pretende afinar a escuta para os processos rituais que fazem parte da tradição oral, bem como seu apelo a ancestralidade, seu caráter mítico e sua transição para o espetáculo.

 


 

Inscrições: de 2 a 21 de outubro de 2019
Data: 26 de outubro de 2019
Horas: 13h às 18h 
Vagas: 12
Investimento: R$60,00
Local: Biblioteca Pública Neiva Maria Andreatta Costela

 


 

Assuntos Abordados
• Estudos da Performance;
• Performatividade, Teatralidade, Oralidade e Ritual;
• Transição do Rito ao Espetáculo;
• A palavra segundo Dadá;
• A Política da Ficção;
• A Política da Memória.

Práticas Criativas
• Sonoridades Vocais/Corporais;
• Corporeidades;
• Movimento Expressivo;
• Narratividades.

Materiais
• Roupa confortável;
• Garrafa d’água;
• Material de anotação.

 


 

Professor Manolo Kottwitz
Bacharel em Artes Cênicas pelas Faculdade de Artes do Paraná, na cidade de Curitiba/PR, Brasil, dando continuidade às suas pesquisas em artes, ingressou em uma Especialização em Artes Híbridas, pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná, também em Curitiba. É Mestre em Psicologia Social e Cultura pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina, na cidade de Florianópolis/SC, Brasil. 

Organização
Jéssica Bedin, professora no Curso de Biblioteconomia da Unochapecó; e Caroline Miotto Pecini, bibliotecária na Biblioteca Pública de Chapecó.