Webmail

Cuidado com os e-mails falsos.

Lembre-se: a Unochapecó jamais solicitará sua senha por e-mail ou por telefone.

Minicurso: A saborosa complexidade do café

Escrito 2 dias atrás por Prof. Micheli Zanetti.Categoria: Eventos do curso

No dia 10/08 os alunos dos cursos de Engenharia de Alimentos e Engenharia Química, tiveram a oportunidade de se especializar na engenharia do café. Os palestrantes: Cleber Costella Zorzi: Graduação em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda, Especialista em Novas Tendências Midiáticas, Fundador da Giulietta Cafés e Mestre de Torra. E Rodrigo Zonta: Graduação em Administração, Especialista e Design e Gestão de Marcas, Fundador da Giulietta Cafés e Barista.

Release do minicurso:

Descoberto há aproximadamente 1.500 anos, o café foi protagonista de muitas histórias para chegar até aqui. Assim como a maioria das grandes commodities, sofreu muito com a falta de preocupação em sua qualidade, pelo exponencial aumento do seu consumo por décadas. Porém há alguns anos este cenário tem mudado muito...e para melhor! Evolução tecnológica e pesquisas para a produção, inovações em beneficiamento, torra e preparo e, principalmente, um consumidor mais exigente, buscando experiências marcantes no seu dia a dia. Tudo isso tem colaborado para estarmos em um momento muito bom para os cafés de qualidade. O curso A saborosa complexidade do café vai levar os participantes a uma viagem ao mundo do café, desde sua origem, disseminação pelo mundo, evolução nos métodos de preparo, até os dias de hoje e as possibilidades de apreciar a bebida mais consumida do mundo depois da água. Depois desta oficina, os participantes estarão capacitados para escolher bons cafés existentes no mercado, com condição de perceber os atributos básicos necessários em cafés de qualidade.

 

Programa: - História do café; - Sua disseminação pelo mundo; - Evolução nos métodos de preparo; - Países produtores; - O café no Brasil; - Variedades; - Processo produtivo; - Classificação; - Torra e Moagem; - Calibração Sensorial; - Cupping (Prova de cafés); - Métodos de preparo e suas diferenças na bebida; - Harmonização

 

foto 1

foto 2foto 3foto 4 foto 5

 

 

Deixe um comentário

Oficina - Produção de hambúrgueres especiais

Escrito 4 meses atrás por Prof. Micheli Zanetti.Categoria: Eventos do curso

No dia 27 de abril de 2016 o curso de engenharia de alimentos da Unochapecó ofertou para alunos dos terceiros anos do ensino médio, uma oficina de produção de hambúrgueres especiais. Nesta oficina, os alunos prepararam quatro diferentes formulações de hambúrgueres, realizando modificações de forma a deixar o alimento mais nutritivo e ainda mais sabaroso. Os alunos gostaram muito da oficina, botaram a mão na massa, aprenderam um pouquinho mais sobre o vasto campo de atuação do engenheiro de alimentos, bem como mercado de trabalho e remuneração; e fecharam a noite fazendo a degustação dos hambúrgueres. 

Já de olho na próxima - Produção de batatas tipo Ruffles - 23/05

fotosftftftft

 

 

Deixe um comentário

Estão abertas as oficinas gratuitas para alunos do terceirão do ensino médio

Escrito 4 meses atrás por Prof. Micheli Zanetti.Categoria: Eventos do curso

Pessoal,

 

Já encontran-se abertas as inscrições para as oficinas gratuitas para alunos do terceiro ano do ensino médio. Vagas limitadas. Interessados entrar em contato em alimentos@unochapeco.edu.br ou 3321 8042.

 

Oficinas

Oficina 1

 

Oficinas

Deixe um comentário

5 MOTIVOS PARA ESCOLHER O CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS

Escrito 5 meses atrás por Prof. Micheli Zanetti.Categoria: Indústria Alimentícia

É muito comum me perguntarem o que é a Engenharia de Alimentos. Apesar dos seus 50 anos de história, o objetivo dela ainda é pouco conhecido e gera dúvidas quanto às possíveis similaridades com os cursos de Gastronomia, Nutrição, Engenharia de Produção ou de Engenharia Química. Por esta razão, decidi escrever 05 motivos pelos quais eu recomendo este curso:

eng ali

  1. A Engenharia de Alimentos é um curso multidisciplinar.

Se você é bom em matemática, biologia, física, química e, ainda por cima, tem a “manha” do fogão, então este curso te ajudará a englobar todos estes conhecimentos. Foi a partir deste saber e pela simpatia com as ciências citadas que optei por prestar o vestibular para este ramo da Engenharia. Durante os primeiros 02 anos de aula, o foco de estudo é voltado para as matérias básicas da Engenharia. Costumo dizer que para ser Engenheiro de Alimentos, primeiro é preciso ser Engenheiro. Portanto, é sim preciso estudar as disciplinas de Álgebra, Cálculo (1, 2 e 3), Termodinâmica, Operações Unitárias (1, 2 e 3), Física (1, 2 e 3), Química (Inorgânica, Orgânica 1 e 2) e outras mais. Do meio para o final, o enfoque volta-se para a aquisição de conhecimentos da área de Tecnologia de Alimentos onde você irá estudar a composição dos alimentos, a bioquímica que envolve a produção das matérias-primas e seus produtos, a microbiologia associada e as mais diversas características sensoriais. Além disso você pode optar por estudar a tecnologia aplicada na fabricação dos diferentes tipos de carnes, frutas, hortaliças, laticínios e grãos.

  1. Possui reconhecimento legal: “Eu sou Engenheiro de Alimentos”.

Após 05 anos de estudos, o diploma conquistado possui reconhecimento legal dentro do território Brasileiro através da lei n° 5.194 de dezembro de 1966 e da Resolução 218 de 29/06/1973 do CONFEA (Conselho Federal de Engenharia e Agronomia). Estas regulamentam sobre as atividades profissionais, especificando o exercício profissional do Engenheiro de Alimentos. As funções do Engenheiro deverão considerar o aproveitamento e utilização de recursos naturais do país e o desenvolvimento industrial e agropecuário do Brasil.

  1. O Engenheiro de Alimentos pode atuar tanto em empresas privadas quanto em órgãos públicos.

O profissional graduado pode conseguir emprego em indústrias privadas de produção de alimentos ou realizar concursos para atuar em órgãos públicos nas áreas de fiscalização como na ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) entre outras instituições.

  1. A área de atuação é muito ampla.

O Engenheiro de Alimentos pode atuar em diversas áreas da Produção e Processos, Garantia de Qualidade, Pesquisa e Desenvolvimento, Projetos, Comercial / Marketing e na Fiscalização de Alimentos e Bebidas. No geral, atuar nestas áreas irá exigir conhecimentos e resultados na melhoria de processos e fluxos produtivos, no desenvolvimento de produtos e estudo da viabilidade econômica, na determinação dos padrões de qualidade para os processos além de exigir habilidade em lidar com pessoas para treinar a sua equipe em práticas da qualidade como rotina operacional.

  1. Todo mundo precisa de consumir alimentos para sua sobrevivência.

Esta é uma área que carece da rotatividade de profissionais dedicados e empenhados em buscar a melhoria do fornecimento de alimentos para a população mundial. Lembro-me de quando meu pai dizia “Filha, o mundo precisa de pessoas que estudem cada vez mais como transportar com qualidade e segurança um alimento de um canto do mundo para o outro.”. Com o tempo de faculdade fui entendendo que por trás desta simples preocupação existe uma cadeia gigantesca onde cada ponto dela contribui significativamente para que este processo aconteça.

 

O caminho é longo mas o final é gratificante. Para ler mais sobre o curso, acesse o site da ABEA e obtenha outras informações sobre o mundo que envolve a Engenharia de Alimentos.

 

Fonte: http://cozinhafitefat.com.br/index.php/2016/03/01/5-motivos-para-escolher-o-curso-de-engenharia-de-alimentos/

Deixe um comentário