Minha Uno
Webmail
Menu Busca

Nunca é tarde: Conheça a história de Lucia e Giovana

Educação

O sonho de Osvete Lucia Lunardi, de 55 anos, sempre foi estar em contato com a vida acadêmica, com o objetivo de aperfeiçoar suas técnicas e habilidades ao fazer algo que ama: cozinhar. Cursando o primeiro semestre de Gastronomia, Lucia exibe um largo sorriso ao relembrar de sua entrada na Universidade, após mais de vinte anos desde sua formatura de segundo grau. 

"Chorei muito, não acreditei! Você não consegue descrever o sentimento de ser aprovada em uma Universidade com uma idade mais avançada. Várias coisas passaram na minha cabeça naquele momento, como iria pagar, o que eu iria aprender, como seria o desempenho do curso, se eu realmente ia gostar, mas, para mim era um sonho ter um diploma. Quando eu falei que ia fazer faculdade muitas pessoas disseram 'o que a senhora vai fazer com um diploma nessa idade?', e eu sempre respondia que não sabia, mas iria dar continuidade".

Ao ser questionada qual a melhor parte do curso, os olhos de Lucia brilham e ela revela: “Tudo! Não há o que eu não goste”. A teoria lecionada, em sua visão, é tão importante quanto a prática desenvolvida; os docentes e técnicos são descritos como extremamente qualificados, o espaço da Universidade é considerado bem distribuído, organizado e completo para auxiliar nas técnicas exigidas no curso. No entanto, os colegas de classe foram os que receberam mais elogios. 

Lucia pretende ensinar mulher vítimas de violência doméstica a cozinhar

“Eles me ensinam e eu ensino eles, é uma grande troca de aprendizado. É maravilhoso estar no

meio de pessoas jovens, vendo que você também é capaz de crescer. Eles também ficam fascinados, porque, por ser mais velha, tenho um conhecimento prévio da prática. E eles me ajudam muito, são uns amores comigo! Quando me aperto em coisas que envolvem a tecnologia, me auxiliam. Um exemplo é meu colega João Vitor, que é meu braço direito e minhas pernas aqui dentro, em questão de computador e celular. A gente é muito parceiro nesse sentido”, conta.

A acadêmica relata, ainda, que quase deixou o sonho de estudar para trás por não ter condições de pagar as mensalidades. Quando recebeu a notícia de que havia sido aprovada na Unochapecó, vieram as dúvidas sobre como iria manter o financeiro em dia. “Fui para o meu trabalho naquele dia, sentei e chorei”, revela. Sua colega de trabalho, demonstrando preocupação, sentou ao seu lado e questionou o que havia acontecido e Lucia expôs sua tristeza. A colega, então, pediu para ela não desistir e ir ao encontro do Setor de Bolsas da Instituição, já que existiam incentivos para o estudo.

“Conversei com o pessoal da Central de Relacionamento, que me encaminharam para a professora Maria Regina, coordenadora do curso, e ela me contou que a Universidade oferece muitas oportunidades de bolsas de estudo. Vim com todos os meus documentos e realizei os processos para o seletivo da bolsa. Quando eu li o 'você foi selecionada na bolsa de 100%' foi um choque! Se você for analisar a minha idade hoje, fazer uma prova do Enem? Não tem chances, comparada aos alunos do Ensino Médio. A Universidade ofertar a Bolsa Federal é uma grande oportunidade. Eu sou privilegiada por ter conquistado a chance de tê-la! Me trás muita alegria, muita felicidade, e eu gostaria que muitas pessoas pudessem compartilhar dessa felicidade”, celebra.

O futuro para Lucia está claro. Ela deseja utilizar os conhecimentos obtidos em prol da comunidade: seu objetivo é realizar um projeto social com a premissa de ensinar mulheres vítimas de qualquer tipo violência doméstica a aprender e/ou aperfeiçoar as técnicas na cozinha. “O universo do estudo faz com que você não fique dentro de uma gaiolinha, de um mundinho fechado. Te abre portas, abre a mente, ensina muito, basta você querer estar dentro dele! Às vezes as pessoas de mais idade acham que não tem condição de fazer uma faculdade, de frequentar uma sala de aula, porque se acham incapazes, mas eu não vejo assim. Eu acho que todo mundo tem a oportunidade de cursar o que quiser, a Universidade disponibiliza uma gama de informações e opções para a gente”. 

 

Aspirações

Para Giovana Morais, caloura do curso de Biomedicina, o retorno à sala de aula era um sonho pessoal e uma aspiração profissional, ao mesmo tempo. Ela ingressou na graduação aos 42 anos. Já trabalhando na área da saúde, mas na gestão comercial, Giovana tinha certeza de que o curso seria uma virada de chave. “Quando a Unochapecó abriu o curso de Biomedicina, eu já tinha certeza que queria fazer. Era um final de ano em que estávamos viajando, recebi a divulgação por e-mail e o Quero Estudar me auxiliou com a documentação da matrícula. Eu só queria saber de começar!”, ela conta, rindo.

“Assim que comecei, eu procurei saber como seria a abordagem de várias áreas no curso, porque não quero parar no meio do caminho, e tirei todas as minhas dúvidas. Assim como eu me deparo com assuntos que eu já vi no mercado de trabalho, também estou acessando muitas coisas novas, que me faz pensar ‘fora da casinha’, e isso é muito motivador. O que mais me chama atenção é a interdisciplinaridade, por exemplo, nos trabalhos de ABEx, e o acesso que temos a muitas tecnologias e novas ferramentas”, diz.

Giovana pretende seguir a área de imunologia

Sobre as expectativas que nutria antes de iniciar o curso, Giovana conta que já estava preparada para as atividades em laboratório, mas ficou surpresa com o mundo de possibilidades que passou a conhecer, vendo que a área profissional se expandiu muito nos últimos anos. Além disso, ela tem influenciado os colegas de trabalho a também buscarem a formação continuada, mesmo os que ainda estão inseguros - “a gente dá conta, sim! Hoje eu consigo organizar muito melhor meu tempo”, diz. Além disso, Giovana conta com um incentivo extra para pensar no futuro dentro do mundo acadêmico: a chegada do pequeno Joaquim, que hoje tem dois anos e já inspira a mãe a seguir se aperfeiçoando na área da imunologia.

A maturidade e a autonomia, segundo Giovana, falam mais alto no rendimento dos estudos. Por se sentir acolhida pela turma, ela não tem receio de tirar dúvidas e compartilhar um pouco de sua vivência na área da saúde. “Essa preocupação diante dos desafios é real e todo mundo tem, mas eu penso muito no quando a vida já me ensinou para que hoje eu estivesse aqui. Consigo ver as oportunidades de forma diferente, e consigo absorver o conteúdo focando muito mais do que vinte anos atrás. Me sinto desafiada todos os dias, e isso me motiva”, finaliza.

 

Auxílio Maturidade

O mundo está evoluindo, deixando a idade superior não ser um fator relevante para a entrada na graduação. E a Uno, ao caminhar lado a lado da comunidade, incentiva o início nos estudos em qualquer idade. O Incentivo Maturidade é um destes auxílios. Ao proporcionar a entrada de pessoas com mais de 50 anos, o benefício consiste em conceder 20% de desconto nas mensalidades (exceto matrículas e rematrículas) nos cursos de graduação e pós-graduação lato sensu presenciais, durante todo o período do curso.

Para acessar o auxílio, o acadêmico deve formalizar o pedido no Setor de Bolsas, de maneira presencial ou pelo email bolsas@unochapeco.edu.br. É importante ressaltar que as solicitações são feitas até o dia 20 de cada mês e implementadas no mês subsequente. 

As disposições da Resolução não se aplicam:

I - aos estudantes dos cursos de graduação em Medicina e aos estudantes dos cursos de

pós-graduação lato sensu presencial em qualquer área da Odontologia;

II - aos estudantes dos cursos de pós-graduação lato sensu a distância.

As inscrições para o Seletivo de Inverno 2022, com entrada para o segundo semestre, estão chegando aos últimos dias. O ingresso é simples: apenas com o envio do boletim de desempenho do Enem ou Histórico do Ensino Médio. Você tem até o dia 05 de agosto para fazer dos seus sonhos uma realidade, faça parte da Uno!

COMPARTILHE
TAGS
Sonhos
Maturidade
Incentivo
Gastronomia
Biomedicina
Auxilio

LEIA TAMBÉM

comments powered by Disqus