Webmail
Menu Busca

Custo do cesto básico aumenta 1,50% em outubro

Mercado

No início do mês de outubro, o curso de Ciências Econômicas da Unochapecó, em parceria com o Sindicato do Comércio da Região de Chapecó (Sicom), realizou uma coleta de dados nos mercados da cidade para verificar o valor do cesto básico. Os números foram pesquisados em dez estabelecimentos e analisaram os 57 itens que compõem o cesto, que vão desde alimentos in natura, semi-industrializados, industrializados, produtos de higiene e limpeza, até serviços tarifados, como água, energia elétrica e gás.

Neste mês, o custo do cesto básico aumentou 1,50% em relação a setembro. O tomate comum apresentou o maior acréscimo de preço, 79,57% quando comparado ao mês de setembro. A cebola teve a maior redução na comparação entre os meses de setembro e outubro, menos 18,19% (R$ 0,91 na média de preços). Neste mês, o custo monetário do cesto básico aumentou para R$ 1.321,71, enquanto que em setembro era de R$ 1.302,14. Na comparação com outubro de 2017 o aumento foi ainda mais expressivo, 3,83%. Neste período, o cesto custava ao consumidor chapecoense o equivalente a R$ 1.272,96.

Neste mês o único grupo que apresentou uma redução foi o de serviços tarifados, reduzindo 0,70% em comparação com setembro, custando ao consumidor o valor de R$ 296,26. Já os grupos de alimentares e não alimentares apresentaram aumentos (2,34% e 0,59% respectivamente). O subgrupo que mais teve influência sobre o aumento no grupo de alimentares foi o in natura, o que representa para o bolso do consumidor um acréscimo de R$ 208,59.

Os demais também aumentaram. Industrializados 0,49% e os semi-industrializados 0,82%. Dentre os dois subgrupos que compõem o grupo de não alimentares, higiene teve um aumento de 1,23% entre setembro e outubro e o subgrupo material de limpeza teve uma redução de 0,28%.

 

Cesta básica

A cesta básica é uma síntese dos preços de alguns dos principais produtos que compõem o cesto básico. Comparando os meses de setembro e outubro de 2018, o custo da cesta básica em Chapecó, nos mercados pesquisados, apresentou um aumento de 7,52%.

Em outubro, o custo para os consumidores chapecoenses aumentou para R$ 319,65, sendo que o valor era de R$ 297,28 em setembro. Quando se realiza a comparação anual, no mês de outubro de 2017, o custo da cesta básica era de R$ 309,08, representando um aumento de 3,42%

Com base no salário mínimo nacional, uma família chapecoense, em outubro, necessita de 0,34 salário mínimo para adquirir a cesta básica, no
mês de setembro eram necessários apenas 0,31.

COMPARTILHE
TAGS
Unochapeco
Ciencias economicas
Cesto basico
Cesta basica

LEIA TAMBÉM

comments powered by Disqus